Essa tecnologia pode acabar de vez com o problema da corrupção nos governos

Da Redação

Por Da Redação

8 de junho de 2016 às 13:40 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Conhece a moeda digital Bitcoin? Ela é inovadora, não é? Pois bem, por trás dela existe uma tecnologia que pode acabar ainda mais revolucionária: o blockchain. Uma de suas de suas teóricas aplicações é acabar com a corrupção nos governos. De vez.

Pense que essa tecnologia poderá te livrar de Dilma Rousseff ou Eduardo Cunha, dependendo de quem você torce (pois política virou Fla-Flu no Brasil). Você assinaria na hora, não é mesmo?

Funciona assim: o blockchain faz um grande catálogo de tudo que aconteceu e espalha digitalmente para todos os seus usuários, que guardam esses registros imutáveis – tornando fraude impossível e transformando todos os gastos governamentais completamente transparentes, até o último centavo.

E isso impossibilita desvios, pois estes estarão descritos fielmente em todos os balanços distribuídos pelas pessoas. É mais uma prova de que a inovação e a tecnologia pode mudar o mundo para melhor. E lembre-se: mesmo no Brasil várias empresas estão surgindo com o propósito de aplicar o blockchain em diversas áreas e você pode ser um empreendedor nesta área! Tentamos te ajudar através deste e-book.

Todos os gastos do orçamento estariam disponíveis automaticamente para todos, que poderiam checar a veracidade do que se fala oficialmente. Isso seria verdadeiro para Petrobras e outras estatais, que foram fonte de grandes corrupções dentro do governo.

Além disso, a autorização de certos gastos só seria autorizada se mais de uma pessoa concordasse com isso. Pense em gastos discricionários do governo que precisariam ser autorizados pelo presidente, um auditor independente e mais uma pessoa que representasse a oposição ao governo ou a sociedade civil. Certeza de que as contas seriam auditadas.

Há outros setores que o blockchain pode revolucionar, como contratos, votações (medo da urna eletrônica não computar seu voto direito? E se todo mundo pudesse checar e tornar seu voto público em caso de inconstância?), propriedades, patentes, serviços sociais e impostos.

Os britânicos já estudam a aplicação (eles até possuem um ministro para “Economia Digital”…) da tecnologia, mas nenhum governo passou da fase teórica até agora. Talvez o Brasil, em sua fase de caça às bruxas e de intolerância com a corrupção, pudesse ser o primeiro a testar como funcionaria o blockchain no longo prazo, digitalizando pelo menos parte dos gastos públicos.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]