Educação financeira começa na infância para ter o efeito esperado em adultos

Avatar

Por Intuit

6 de outubro de 2016 às 10:46 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Você já parou para se perguntar se, quando era criança, sabia o que significava educação financeira? Provavelmente não, pois a maioria das pessoas só se dá conta da importância dessa conceito quando precisa gerir uma empresa própria no dia a dia, ou seja, quando é empreendedor.

Pois bem, nesse post a Intuit te ajuda a entender a relevância de se ensinar, aos pequenos, esse cuidado com a administração do dinheiro, a partir de estudo do Banco Mundial, realizado em parceria com a Enef (Estratégia Nacional de Educação Financeira) e citado em reportagem da Folha de S. Paulo.

O estudo foi feito com cerca de 9 mil alunos do ensino fundamental (quinto, sétimo e nono anos) durante o ano de 2015. Na pesquisas, os alunos concordavam ou não com diversas afirmações sobre educação financeira, como “Não vejo problema em dever dinheiro”, ou “Compro o que eu quero, depois vejo como pagar”.

A diferença entre os alunos que tiveram aulas de educação financeira e os que não tiveram foi mais acentuada entre os estudantes dos quinto e sétimo anos. Já entre os alunos do nono ano a diferença não foi tão acentuada.

Segundo Caio Piza, economista do Banco Mundial e um dos responsáveis pelo projeto, os alunos do nono ano, por serem mais velhos, estão mais expostos a propaganda e atitudes que minimizam os males do endividamento e estimulam compras a prazo e cartão de crédito.

O papel da mesada

Um componente fundamental na educação financeira de crianças é a mesada, recomendada por muitos consultores financeiros. Em seu blog, o economista e consultor financeiro Samy Dana explica que mesada é um instrumento importante para que a criança comece a ter noção de controle, para entender os gastos essenciais e aqueles são supérfluos e se programar para adquirir as coisas que deseja, como um brinquedo caro. Neste sentido, o dinheiro mensal pode ser benéfico para a educação financeira da criança.

Este conteúdo foi publicado originalmente no Blog do QuickBooks ZeroPaper