Depois de abaixo-assinado, app de táxi adota medidas contra assédio de taxistas

Mais de 27 mil pessoas apoiaram a causa em poucos dias e CEO do Easy Taxi garantiu que ferramenta de segurança será implementada em até três meses

Avatar

Por Juliana Américo

20 de março de 2015 às 11:43 - Atualizado há 5 anos

SÃO PAULO – Os aplicativos de táxi revolucionaram a forma de conseguir e pagar táxis, principalmente em grandes cidades. A praticidade e rapidez fizeram com que o número de usuários aumentasse exponencialmente.

No entanto, os mesmo começaram a expor os usuários, ao divulgar nome, endereço e número de celular. A jovem de 22 anos, Ana Clara Leite, infelizmente, sentiu na pele essa exposição após ser assediada pelo taxista.

E ela não é a única, muitas mulheres já declararam que receberam mensagens de textos e ligações dos profissionais após as corridas, já que as informações do passageiro ficam disponíveis.

Pensando nisso, Ana Clara fez uma campanha pedindo alguma atitude dos apps. “Estes casos não são a maioria – boa parte dos taxistas são profissionais. No entanto, como usuária da Easy Taxi e pensando no risco que as mulheres vivem, criei este abaixo-assinado para pedir à empresa que adote medidas em seu aplicativo para minimizar esta ameaça”, afirma no depoimento da campanha.

“Peço à Easy Taxi que dê ao cliente a opção de escolher se quer que seus dados (telefone e nome completo) sejam entregues ou não ao taxista na hora da corrida”, sugere a usuária.

Medidas parecidas já existem no Brasil e exterior; a WayTaxi, por exemplo, conta com uma ferramenta de bloqueio de taxistas que fazem assédio. Já na Índia, o aplicativo Uber criou uma opção “SOS”, que permite chamar a polícia na hora da corrida.

Em poucos dias, a campanha conseguiu mais de 27 mil assinaturas e ainda uma resposta do Easy Taxi. O novo CEO da empresa, Dennis Wang, entrou em contato com Ana Clara garantindo que eles estão trabalhando em uma solução definitiva que realiza telefonemas entre passageiro e taxista sem mostrar nem armazenar o telefone um do outro.

Como a ferramenta deve levar até três meses para ficar pronta, há uma solução temporária para que nossos passageiros possam escolher se querem ou não ter o seu número revelado ao taxista, basta mandar um e-mail para telefone@easytaxi.com.br e solicitar a retirada do seu número do app. “Trabalhamos diariamente para que nossos passageiros tenham a melhor experiência a bordo e não vamos sossegar enquanto ainda tivermos melhorias para fazer”, afirma.

Além disso, o fundador do Easy Taxi, Tallis Gomes, explica que existe um manual de conduta rigoroso para os taxistas filiados ao aplicativo, variando de advertência até suspensão permanente. No entanto, admite que ainda é necessário fazer muitas coisas para melhorar o serviço.

“Criar a petição me fez ver o poder de mobilização das pessoas na internet”, afirma Ana. “O resultado foi super positivo, a petição saiu vitoriosa e, mais do que isso, nós mulheres chamamos a atenção para o problema do assédio e mostramos que as empresas são responsáveis por fazerem tudo o que for possível para nos proteger e coibirem qualquer tipo de assédio.”