Corte obriga Apple a pagar US$450 milhões a consumidores; empresa recorre

Avatar

Por Paula Zogbi

29 de outubro de 2015 às 18:06 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Apple recorreu nesta quarta-feira da decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos que culpou a companhia de conspirar com cinco editoras para aumentar preços de e-books ilegalmente, de acordo com a Reuters.

Tomada em junho, a decisão obrigava a fabricante dos iPads a pagar US$450 milhões aos consumidores, sob um acordo entre 33 advogados gerais estaduais e consumidores. De acordo com a petição da Apple, a decisão contradisse um precedente da Suprema Corte e que “prejudicaria inovação e tomada de riscos, além da competição e da economia nacional”, escreveu a empresa.

Na época da decisão, a Suprema Corte disse que o esquema fez com que alguns livros fossem vendidos por US$12,99 ou US$14,99 quando deveriam custar os US$9,99 cobrados pela líder do mercado Amazon. Conspiraram no esquema as editoras Penguin, Hachette Book Group, Simon & Schuster, entre outras.