Conheça o computador minúsculo (e útil) de US$ 5 da Raspberry Pi

Avatar

Por Paula Zogbi

27 de novembro de 2015 às 10:08 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Nesta quinta-feira, a Raspberry Foundation anunciou um computador absurdamente pequeno e barato: o Raspberry Pi Zero, que custa apenas US$5 nos EUA e tem configurações bastante boas para o seu tamanho – (bem) menor que uma cédula de dinheiro, como mostra a foto abaixo.

A máquina vem munida de um processador de 1GHz, memória RAM de 512 MB e pode ser usado com uma tela de 1080p a 60 fps. Não há armazenamento interno, mas é possível adicionar um cartão Micro SD do tamanho que o usuário preferir. Ele usa uma versão do Linux chamada Raspbian.

Para fazer uso do computador, você precisa ter uma tela, um mouse e um teclado. Assim, ele se torna um desktop. Mas não é preciso usá-lo apenas da maneira mais tradicional.

Como mostra o site lifehacker, sistemas deste tamanho são bons candidatos a sistemas de automação de objetos: o usuário do Raspberry Pi Zero pode construir toda uma casa automatizada. Entenda mais no vídeo de apresentação do computador. Ele também é usado para construir máquinas para assistir vídeos, jogar jogos ou usar programas em televisões – como um Chromecast ou Apple TV. 

A missão da Raspberry Pi é justamente produzir dispositivos de baixo custo para inserir pessoas comuns – principalmente crianças – no universo da ciência da computação, como explica a publicação oficial da companhia que apresenta o Raspberry Pi Zero.

A empresa também vende cabos e adaptadores HDMI para serem usados no dispositivo. “Seja feliz nos hacks”, diz a postagem, em tradução livre.