Conceitos de economia criativa para você, empreendedor, entender de vez

Com o post de hoje, a Intuit ajuda você, empreendedor, a entender os principais fundamentos de economia criativa para evitar problemas e imprevistos durante sua empreitada profissional nesse mercado

Avatar

Por Intuit

21 de setembro de 2016 às 11:34 - Atualizado há 3 anos

Abrir um negócio próprio não é fácil e a Intuit sabe disso. Por isso, o post de hoje ajuda você, empreendedor, a entender os principais fundamentos de economia para evitar problemas e imprevistos durante sua empreitada profissional. Apesar de complexa, a economia não pode ser encarada como algo impossível. Como é volátil, ao entender como ela funciona, você poderá de evitar prejuízos decorrentes dessa variação dos índices, que é bastante comum.

Abaixo, você verá cinco dicas principais vinculadas ao conceito de “economia criativa”, que está na moda e tem foco em sustentabilidade. Consiste em conseguir fazer mais gastando menos e, para tanto, é necessário usar muita criatividade. 

Capacidade excedente

Descobrir onde está sua capacidade excedente é uma forma de encontrar soluções para utilizar esses recursos de outra forma. Por exemplo, a energia solar é um ativo que pode ser bem utilizado, economizando energia elétrica.

Cidades inteligentes

Está em alta, porque tem como objetivos a economia solidária e o uso consciente dos espaços e dos recursos naturais. Então, investir em projetos relacionados às cidades inteligentes é uma boa ideia. 

Plataformas de conexão

O mundo hoje é conectado. Assim, é importante criar plataformas que conectem as pessoas a propósitos comuns, como a economia colaborativa. 

Ferramentas para pessoas

Encontrar pessoas é uma das dificuldades do mundo atual, que está, cada vez mais, focado na tecnologia. Então, ferramentas como o Waze, que permitam o encontro de pessoas e o compartilhamento de informações, são ótimas sacadas. 

Usar o menor produto viável

Como a economia colaborativa pretende fazer mais com menos, a ideia é conseguir utilizar o menor produto mínimo viável, o que significa que se a sua empresa está funcionando bem com um carro à disposição, não é necessário adquirir outro. Assim, com a economia colaborativa, é possível chegar ao sucesso com o mínimo de investimento de dinheiro possível. 

Fluxo de caixa

É obrigatório na gestão de empresas e se trata de uma ferramenta para gestão financeira cujo intuito de prever entradas e saídas de recursos, projetando o saldo do caixa para aquele período, ou seja, se a previsão é de saldo positivo ou negativo. Por ser uma projeção, o fluxo de caixa deve ser flexível e você deve colocar todos os valores reais esperados de entrada e saída de caixa. A partir dessa projeção, você estará apto a fazer uma análise de sensibilidade, criar uma estrutura gerencial de resultados e calcular diversos elementos para manter seu negócio de pé, como rentabilidade, ponto de equilíbrio, lucratividade e prazo de retorno.