Como transformei o LinkedIn numa máquina de fazer negócios

Avatar

Por Júnior Borneli

18 de julho de 2016 às 14:08 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

No meu dia a dia no StartSe, empresa da qual sou co-fundador, tenho como principal missão fazer relacionamentos e criar conexões que, com o tempo, precisam ser medidas em resultados.

Essa conversão de conexão para resultado leva um certo tempo e nem sempre é possível ter sucesso. Agora imagina o quanto isso é mais difícil quando você não está em um grande centro, como São Paulo, por exemplo. É o mesmo que acontece com muitos empreendedores e empresários.

Para ter sucesso na minha missão, precisei encontrar ferramentas que encurtassem a distância geográfica e profissional, uma vez que as pessoas com quem eu gostaria – e precisava – me relacionar, não faziam parte da minha rede de contatos.

Utilizei diversos recursos como Skype, Hangout, Appear.in e tantos outros que resolveram o problema da questão geográfica, mas não me ajudaram com a ampliação da rede de relacionamento.

Fui aí que decidi apostar no LinkedIn, ferramenta que eu já utilizava a algum tempo, mas apenas como um local onde minhas informações profissionais eram expostas e nada mais. O que eu fiz: passei a utilizar a ferramenta de forma proativa, fui ao encontro das pessoas com quem eu gostaria falar e, para minha surpresa, a receptividade nos contatos foi espetacular.

Consegui acessar profissionais de empresas como Amazon AWS, Go Daddy, Microsoft, Mercado Pago e muitos outros. E consegui, a partir desses relacionamentos, fechar contratos de milhares de reais – e dólares – com algumas das maiores empresas do Brasil e do mundo. Tudo isso a partir de uma mudança de postura no LinkedIn, que conto agora como foi:

  • Antes, ao enviar solicitações de conexão, não me preocupava em personalizar a mensagem. Hoje, em no máximo 3 linhas, faço minha apresentação, forneço as principais informações da minha empresa e deixo claro o meu objetivo com a conexão. Fazendo dessa forma, quando a outra pessoa aceita o seu convite, é porque você deu informações que foram úteis para a outra pessoa. É o primeiro passo para um relacionamento de sucesso.
  • Um dos principais erros no LinkedIn é ir com muita sede ao pote. Empreendedores em busca de investimento, por exemplo, pedem dinheiro na primeira conversa com o investidor, quando na verdade deveriam pedir mentoria. Lembre-se: um admirador do seu trabalho ou um mentor podem abrir muitas portas. Portando, entenda um relacionamento profissional como uma escada: você precisa subir 1 degrau de cada vez.Apresentação1
  • Enquanto a maioria das pessoas vê o LinkedIn como um lugar para buscar emprego, você precisa enxerga-lo como um enorme gerador de negócios. Pense no seu produto/serviço e entenda que tipo de empresa gostaria de se relacionar com você e com seus clientes. No StartSe, por exemplo, temos 4,2 mil startups ativas e toda startup precisa de servidores para site/aplicativo, sistema de pagamento para venda online, etc. Tendo uma visão clara sobre isso, ficou fácil definir as conexões que eu deveria fazer.
  • Chamar a atenção do CEO ou Presidente de uma grande empresa é difícil, então foque nas pessoas certas. Sempre usei a estratégia de pesquisar os heads das áreas com as quais eu gostaria de falar. Nesse nível de conexão, seu leque de opções cresce e fica mais fácil de abrir uma porta. Principalmente nas grandes empresas, onde as áreas têm orçamento pré-aprovado, a decisão nem sempre é do CEO.
  • Se você puder, tenha uma conta Premium do LinkedIn. Eu resisti muito até fazer uma assinatura porque não acreditava nos resultados. Mas depois que passei a utilizar, tive uma mudança de patamar nos meus relacionamentos. Os recursos da conta paga conectam você a qualquer profissional do mercado e permite o envio de mensagens até para quem não está na sua rede.
  • Além de fazer negócios, aproveite para criar relacionamentos profissionais que ajudem no seu desenvolvimento pessoal. Como disse acima, tirar dinheiro das pessoas é uma tarefa difícil, mas conhecimento é algo que todo mundo gosta de compartilhar. Aproveite e aprenda com quem está um nível acima! Fazendo isso, aprendi muito com os fundadores de algumas das empresas mais inovadores do Brasil. Dá uma olhada no bate-papo que tive com o Tallis Gomes, criador do Easy Taxi, por exemplo: http://goo.gl/Z3pyiJ

Outra dica que deixo é a participação em eventos e encontros onde as pessoas do seu interesse estão. Para startups e empreendedores, por exemplo, recomendo o Accelerator Day. Lá estão empreendedores de sucesso, investidores, mentores e muita gente qualificada.

Gostou deste texto? Me siga nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/jrborneli
Linkedin: https://br.linkedin.com/in/juniorborneli
Instagramhttps://www.instagram.com/juniorborneli/

PS #1: Leia também o artigo Se você quer ter uma startup, esta é a hora!, que escrevi na semana passada e foi destaque em diversos canais oficiais do LinkedIn.

PS #2: se você é empreendedor e quer saber como criar uma startup, leia o e-book que escrevi sobre isso: http://goo.gl/hcqU3S