Comentários racistas no Facebook estão sendo colocados na porta da casa dos autores

Avatar

Por Júnior Borneli

1 de dezembro de 2015 às 09:56 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Uma nova campanha brasileira, criada pelo grupo Criola, organização sem fins lucrativos que trabalha para defender os direitos das mulheres negras no Brasil, tem colocado outdoors com comentários racistas em pontos próximos das casas dos autores das frases.

Com o tema “Racismo Virtual, Consequências Reais”, o grupo utiliza a tag de localização das publicações no Facebook para descobrir onde vivem os autores dos comentários racistas. A partir daí, adquirem espaços publicitários em pontos próximos e reproduzem o comentário, preservando a foto e o nome da pessoa.

A campanha começou depois dos comentários racistas sofridos pela jornalista Maria Júlia Coutinho, da Rede Globo. Ela foi a primeira jornalista negra a apresentar a previsão do tempo no Jornal Nacional, horário mais nobre da tv aberta no país. Depois de vários elogios na imprensa especializada, centenas de comentários racistas começaram a pipocar na internet, ofendendo a jornalista.

A ideia da campanha é mostrar que o racismo virtual pode trazer consequências reais. “Nós omitimos nomes e rostos dos autores, porque não temos a intenção de expor ninguém. Nós apenas queremos educar as pessoas para que no futuro eles pensem sobre as consequências antes de postar comentários racistas”, afirma um dos diretores do projeto.