Clube do Bilhão: as startups que começaram 2017 no topo

Avatar

Por Júnior Borneli

14 de janeiro de 2017 às 17:10 - Atualizado há 4 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Poucas são as startups que conquistam o tão sonhado título de “unicórnio”, ou seja, que atingem valor de mercado superior a US$ 1 bilhão.

Hoje, no mundo todo, são 154 companhias no “Clube do Bilhão”. O Uber se mantém no topo da lista desde julho 2015, época em que superou a chinesa Xiaomi, que reinava desde dezembro de 2014.

O valor de mercado do Uber, hoje, é de US$ 68 bilhões e a empresa já recebeu US$ 12,9 bilhões em investimentos. A Xiaomi segue na segunda posição, com valuation de US$ 46 bilhões e US$ 1,4 bilhão de investimentos captados.

Na terceira posição aparece outra startup chinesa, a Didi Chuxing, que recentemente investiu R$ 320 milhões na 99Taxis. O valor de mercado da empresa chinesa é de US$ 33 bilhões, apenas US$ 3 bilhões a frente do Airbnb, que chegou a um valor de mercado de US$ 33 bilhões depois de ter recebido novos investimentos em setembro de 2016.

Se você tem uma startup e está em busca de investimento, passe um dia ao lado dos maiores investidores do Brasil. Saiba mais clicando aqui .

A quinta posição fica com a Palantir, empresa que análise de dados que, dentre outras coisas, ajudou o governo americano a encontrar Osama Bin Laden. O valor da empresa é de US$ 20 bilhões.

Os chineses aparecem novamente na sexta e sétima posições, com a Lufax, avaliada em US$ 18,5 bilhões, e com a Meituan-Dianping, avaliada em US$ 18,3 bilhões. A primeira tem foco no mercado financeiro e é uma das principais empresas P2P do mundo, com 7 milhões de usuários. A segunda é uma empresa de reservas online para restaurantes, cinemas e vários outros setores.

Na oitava posição está o Snapchat, avaliado em US$ 17,8 bilhões. A empresa se prepara para fazer IPO nesse ano e vem encarando uma concorrência ferrenha do Facebook, que lançou a ferramenta “Stories” no Instagram e igual o número de usuários do Snap.

A WeWork, fundada em Nova York, aparece na nona posição. A empresa oferece um serviço diferenciado de escritórios compartilhados, criando redes de conexão entre os usuários. Seu valor de mercado é de US$ 16,9 bilhões.

E na décima posição aparece a indiana FlipKart, avaliada em US$ 15 bilhões. A empresa é a maior varejista da Índia e segue de perto o modelo de negócios da Amazon.

O que chama a atenção no top 10 do “Clube do Bilhão” é o domínio de americanos e chineses. Cinco das dez empresas são americanas, quatro são chinesas e uma é indiana. No total, o domínio é absoluto dos Estados Unidos, com 91 empresas. Outras 44 foram criadas na Ásia, apenas 16 nasceram na Europa e apenas 3 surgiram em outras localidades: Israel, Canadá e Nigéria.

Ainda não há nenhuma empresa brasileira entre as 154 startups bilionárias. Será que em 2017 teremos a primeira representante?

PS: Se você quer ter uma startup, conheça o curso Startup de A a Z. Ele ensina a construir uma startup desde a ideia até a captação de investimento. 😉

Aproveitando: leia meus outros artigos sobre startups e inovação, aqui no Linkedin, e me siga nas redes sociais.

Facebook: https://www.facebook.com/jrborneli

Linkedin: https://br.linkedin.com/in/juniorborneli

Instagram: https://www.instagram.com/juniorborneli/