Campus Party 2017: este foi o ano das startups de fintech

Avatar

Por Hilton Menezes

8 de fevereiro de 2017 às 15:03 - Atualizado há 4 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

A despeito de algumas críticas sobre a qualidade da edição da Campus Party deste ano, o tema da inovação no setor financeiro nunca foi tão debatido no país quanto nos dias em que ocorreram o evento na capital paulista. Um reflexo das oportunidades que o mercado brasileiro oferece – mais de 30% da população adulta do país ainda não é bancarizada ou então não utiliza nenhum serviço além do saque – e também do maior interesse dos empreendedores pelas fintechs.

Com exceção de gigantes como China e Índia, é difícil imaginar um mercado consumidor hoje no mundo com mais de 35 milhões de adultos praticamente a deriva no sistema financeiro. Por outro lado, é fácil entender o crescimento acelerado do uso do celular para transações financeiras, tendência comprovada quando verificamos o sucesso de um banco como o Original.

Por isso, para quem aposta no setor foi uma grande satisfação ver a atenção dada pelos grandes bancos brasileiros e empresas de meios de pagamento à Campus Party.

O Banco do Brasil, instituição fundada há 208 anos, se dizia entusiasmado com a formação de startups junto a seus funcionários. O Itaú, principal banco do país, alardeava a estrutura de seu espaço de fomento ao empreendedorismo de tecnologia, batizado de Cubo, enquanto o Bradesco divulgava seu fundo de investimentos em fintechs.

Nós da Kyvo, em parceria com a GSVlabs, aproveitamos o evento para lançar o Track, programa de aceleração de fintechs da Visa, a maior empresa de meios de pagamento do mundo. Em um formato inédito no mercado nacional, cada uma das cinco startups selecionadas, além do aporte de R$ 235 mil, receberá treinamento, imersões, mentorias e todo o suporte da GSVlabs em São Paulo e no Vale do Silício durante seis meses.

Todos esses sinais, quando analisados em conjunto, mostram que o próximo setor tradicional da economia mundial a ser realmente sacudido por uma inovação disruptiva deve ser mesmo o financeiro. E essa revolução parece estar cada vez mais perto de acontecer.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]