Brasileiro imprime próteses 3D para crianças carentes

Avatar

Por Júnior Borneli

30 de novembro de 2015 às 09:59 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O desenvolvimento tecnológico tem causado revoluções em diversos segmentos, mas quando uma solução inovadora surge das mãos de pessoas de bem, o benefício pode ser incalculável. Essa é a história do brasiliense Marcos Roberto Oliveira, diretor de uma imobiliária online, contada pelo portal G1.

Formado em Ciências da Computação e apaixonado por tecnologia, Marcos se inscreveu omo voluntário em um projeto que ajuda crianças amputadas por meio da fabricação de próteses feitas com impressoras 3D.

Quando comprou a impressora 3D, que está instada em seu escritório, Marcos pretendia produzir peças para veículos elétricos, como skates e bicicletas, em um projeto com o primo. Mas um vídeo na internet, do projeto e-Nable, em que uma criança recebia uma prótese impressa em 3D, mudou seus planos.

A partir daí, Marcos começou a produzir suas próteses. Cada pela leva 22h para ficar pronta e é composta por plástico, elásticos, fios de nylon e velcro. “Assim que soube da existência desse projeto, me cadastrei como voluntário e comecei a impressão da minha primeira prótese. As próteses que estou produzindo são próteses que substituem os movimentos básicos da mão.”

O homem trabalha ainda no desenvolvimento de uma prótese robótica, que conecta sensores presos ao corpo com os movimentos dos dedos robóticos da prótese de mão. Mas ele não quer parar por aí: através do projeto Protesys, Marcos quer fomentar a distribuição de próteses e a montagem de laboratórios de impressoras 3D em centros de reabilitação, para incluir os prórios pacientes no processo de construção de suas próteses.

Para divulgar a iniciativa, Oliveira criou um site para conectar brasileiros que ajudam e querem ser ajudados por meio dessa ação. Interessados devem preencher um formulário no site.