Banco do Brasil entendeu o que precisa para sobreviver neste “novo mundo”

Empresa estatal está realizando competição de empreendedorismo em Brasília e estimulando criação de startups internas

Avatar

Por Da Redação

8 de dezembro de 2016 às 15:15 - Atualizado há 3 anos

O “Novo Mundo” que tem se desenhado nos últimos anos é um mundo em que startups e empreendedorismo possuem uma grande atratividade e estão fazendo coisas inovadoras e mudando. Não demorou muito para que grandes empresas colocassem o olho neste novo mundo.

O senso comum ditava que o Banco do Brasil, por ser uma estatal, virasse um retardatário neste assunto. Uma montanha de burocracias e mandos e desmandos deveriam atrasar o rumo do banco ao futuro, muito também em conta pelo perfil da presidente que residia no Palácio do Planalto nos quatro anos.

Ledo engano.

O Banco do Brasil entendeu claramente o que precisa fazer para ser um dos líderes nesta época e abriu suas portas para a inovação e o empreendedorismo. Além de um escritório no Vale do Silício, dentro de uma das maiores aceleradoras do mundo, e do Digio, a Estatal está incentivando agora a criação de startups internas.

Agora, o Banco promove o Action BB, um evento em Brasília nessa semana. A ideia é representar uma trilha de negócios digitais para a Estatal. O evento deverá reunir 70 soluções criativas para produtos e serviços do Banco. Foram 400 soluções inscritas para participar do evento.

Projetos para o futuro do Banco

O evento vai funcionar como um encontro de “startups internas”. Das 70 ideias, os 15 melhores projetos deverão ser incubados e desenvolvidas. Várias áreas do Banco do Brasil terão grandes mudanças por conta dessa revolução interna. Exemplos são: crédito imobiliário, capitalização, investimentos, educação financeira e seguridade, por exemplo.

Para tal, os funcionários do BB se dividirão em equipes, de 4 a 5 pessoas, e utilizarão ferramentas comuns ao mundo de startups, como Lean Startup, Business Model Canvas e Customer Development. Durante o evento, as equipes serão mentoradas por gente com experiência em vários setores, como marketing, tecnologia, experiência do usuário, negócios e estratégia.

Dos 15 projetos, Marco Mastroeni, diretor de negócios digitais do BB, José Caetano Minchillo, diretor de gestão de pessoas, e Gustavo Fosse, diretor de tecnologia, selecionarão até cinco ideias. Uma delas será premiada com 200 mil pontos do programa de relacionamento “Ponto pra Você” do BB para cada integrante.

“Além de disseminar a cultura digital dentro da organização, o Action insere cada vez mais o banco como protagonista em um mundo de economia compartilhada, abundância de recursos em diversas esferas, crescimento exponencial de tecnologias e atitudes empreendedoras. Permite que todos, independente de função ou cargo, proponham soluções inovadoras que facilitem e transformem a vida das pessoas”, explica Marco Mastroeni, diretor de negócios digitais do BB.

Grandes empresas buscam solução

É impressionante que o BB tenha entendido que o mundo mudou. Fomentar a inovação é primordial para sobreviver em um mundo de grandes mudanças e avanços. É isso que vai manter empresas vivas, enquanto outras deverão caminhar para a morte.

Contudo, nem todas as empresas podem ou possuem recursos que a Estatal possui. Há milhares de jeitos de inovar, e nós preparamos um evento muito interessante sobre a relação de empresas e startups, o Corporate Class – que pode te ajudar a abrir novas oportunidades e caminhos nas sua própria companhia. Clique aqui para conhecer.

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]