Associação Brasileira de Fintechs realiza painel sobre moedas virtuais e segurança online

Avatar

Por Júnior Borneli

22 de Maio de 2017 às 09:57 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Os últimos dias foram marcados pelos maiores ataques hackers da história. Milhões de computadores foram atingidos em todo o mundo e ficou escancarada uma nova modalidade de extorsão: pagamento em forma de moedas virtuais para liberação de dados.

Se estivéssemos falando de um crime de sequestro, seria o mesmo que pagar o resgate em dinheiro vivo. O que muda, agora, é que a “vítima” são dados armazenados nos computadores e o “resgate”, que devolve acesso aos dados, é pago em bitcoin ou outro tipo de moeda virtual.

Estima-se que, nos últimos dois ataques, mais de US$ 1 bilhão de dólares tenham sido embolsados pelos criminosos. O ataque atingiu computadores em 74 países.

Mas, afinal de contas, o que é bitcoin? Como se proteger de ataques virtuais? Se tiver dados roubados, é possível recuperar? Como as instituições financeiras lidam com esse problema? Quais são as tecnologias disponíveis para combater o crime virtual?

Todas essas respostas serão dadas durante o Painel Cibersecurity & BlockChain, realizado pela Associação Brasileira de Fintechs, com apoio do StartSe e da PWC, uma das maiores empresas de consultorias do mundo.

O encontro será realizado na sede da PWC, no dia 25 de maio, e será transmitido ao vivo, pela internet, de forma gratuita. Para participar, basta se inscrever clicando nesse link.

Dentre os participantes, estão Raul Pavão, da Snoopwall; Eduardo Batista, da PWC; João Paulo Oliveira, da FoxBit; e Rosine Kadamani, da OriginalMy.