Apresentações convincentes “carimbam” autoridade e ajudam a construir a carreira

Avatar

Por Claudio Nasajon

17 de dezembro de 2015 às 17:19 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

As pessoas atribuem a alguém que dá palestras, um conhecimento superior. Quem faz uma apresentação em público, recebe automaticamente um “carimbo” de autoridade que tende a ser positivo para a sua carreira. O problema é que, estranhamente, alguns estudos sugerem que nesses casos, a FORMA, e não o CONTEÚDO, é o fator de maior impacto na formação da opinião. Por isso decidi compartilhar, neste artigo, algumas práticas que têm funcionado nas minhas palestras e talvez possam ser úteis nas suas próximas apresentações.

A primeira impressão é mesmo a que fica?

Um estudo sobre Psicologia Social publicado recentemente por Thomas Mann, da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, explica as causas do ditado popular de que “a primeira impressão é a que fica”. Ele prova com evidências, que essas primeiras impressões, ou prejulgamentos, podem não ficar para sempre, mas uma vez formuladas, são muito, muito difíceis de mudar.

Isso vale, claro, para a forma como você se veste, como fala e como se posiciona numa reunião, por exemplo, mas com a explosão das redes sociais, as apresentações em público têm um papel cada vez mais importante na construção da sua imagem profissional.

Por isso é preciso tomar alguns cuidados.

Evie o uso de siglas

Por exemplo: evite o uso de siglas ou jargões técnicos. Além de dificultar que sejam entendidos, eles podem sugerir que você se sente superior, ou pior, que é fechado no mundinho técnico onde as siglas e jargões são mais importantes do que aquilo a que elas se referem.

Quando me perguntam o que eu vendo na minha empresa (Nasajon sistemas), por exemplo, eu sempre falo em sistemas de gestão empresarial, faturamento, controle de estoque… e só depois – às vezes – engreno com a sigla “E-R-P”.

Seja coerente na linguagem

Outro cuidado importante, principalmente ao apresentar com slides, é manter uma linguagem homogênea. No livro “A corte das palavras”, Barbara Wallraff, ex-Editora do MIT Technology Review, defente que apresentar três ou quatro itens com frases completas e apenas um com a palavra-chave, parece desleixo ou incapacidade de construir a frase. Você pode escolher usar frases completas ou apenas palavras-chave, mas aplique o mesmo critério para todos os itens.

Outro erro comum que vejo nas apresentações – e você pode evitar facilmente – é alterar a ordem dos itens. Se você se referir a A, B, e C na sua exposição, cuide para que no slide eles apareçam exatamente nessa ordem.

Da mesma forma, quando usar um determinado termo durante a apresentação, cuide para aplicá-lo também no slide. Já vi gente referir-se aos empregados como “funcionários”, mas escrever no slide “colaboradores”. Seja coerente.

Cartilha mostra como fazer “Apresentações convincentes”

Se quiser se aprofundar no tema, vale a pena ler a cartilha “Apresentações convincentes”. Nela mostro algumas práticas que uso na minhas próprias palestras e podem ser úteis para você construir as suas.

Para fazer o download, basta visitar a pagina “claudionasajon.com.br/apresentacoesconvincentes” e clicar no botão sob o vídeo.

E não esqueça de me dar a sua opnião! Ela é importante para me mostrar se estou – ou não – no caminho certo.

Até a próxima!

CLAUDIO NASAJON é fundador da Nasajon Sistemas e Head of Entrepreneurship do Harvard Business School Club do Brasil.