Apple aumenta preços de apps em 7 países graças à alta do dólar

Avatar

Por Paula Zogbi

19 de janeiro de 2016 às 11:36 - Atualizado há 6 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A partir do dia 21 de janeiro, quinta-feira, os aplicativos para iPhone e iPad vão ficar mais caros em diversos territórios. Já é a segunda onda de aumentos feita pela Apple praticamente em seguida.

Desta vez, os territórios afetados, de acordo com um e-mail enviado aos desenvolvedores de apps e publicado pelo iMore, são: México, Canadá, Israel, Nova Zelândia, Rússia, Singapura e África do Sul. O último aumento de preços ocorreu na Austrália, Índia e Turquia, em março de 2014.

Como as mudanças são feitas por conta do dólar, que está mais forte ante as moedas de outros países, é possível que o Brasil seja afetado em breve. Cada país recebe as novas políticas de uma maneira diferente, alguns com mudanças nos preços de assinaturas, outros de apps e de compras dentro deles.