Amazon adquire startup Amiato para otimizar serviços da AWS

Avatar

Por Júnior Borneli

13 de Maio de 2015 às 09:11 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Amazon adquiriu a startup Amiato e passa agora a dar aos varejistas de e-commerce uma inteligência maior por trás da sua tecnologia, o que tornará mais fácil a tarefa de levar seus dados para os serviços de armazenamento em nuvem da Amazon Web Service.

O objetivo da Amazon com a compra da Amiato foi explorar as habilidades dos seus programadores e engenheiros e capacitar ainda mais o seu time, de acordo com uma pessoa ligada à direção da empresa que não estava autorizado a falar publicamente sobre o negócio. Os valores da transação não foram divulgados.

O StartSe quer ajudá-lo a chegar ao sucesso. CLIQUE AQUI e descubra como Zero Paper, Conta Azul, Boo-Box e Descomplica conquistaram investidores!

A startup sediada em Palo Alto, EUA, é especializada na obtenção de informações de uma variedade de bancos de dados modernos e migrá-los para serviço de arquivamento online da Amazon, chamado Redshift. A empresa já havia recebido US$ 2 milhões em investimentos.

A Amazon não tem o costume de adquirir muitas empresas para sua divisão de serviços de armazenamento de dados AWS. O objetivo sempre foi investir pesadamente em pesquisa e desenvolvimento interno. As aquisições, quando são feitas, têm como alvo pequenas empresas que preenchem um nicho específico, como a 2lemetry, uma empresa de internet das coisas adquirida no mês passado e a startup israelense de semicondutores Annapurna Labs, que a Amazon comprou em janeiro.

O uso principal da tecnologia da Amiato consiste em levar dados mantidos em bancos de dados modernos, como MongoDB, e carregá-los no Redshift, da Amazon. Os funcionários da Amiato passarão a integrar o time de banco de dados e produtos da Redshift, da Amazon, de acordo com as mensagens no LinkedIn.