Aleluia, alguém quer resolver o problema da fila de espera em restaurantes

Da Redação

Por Da Redação

21 de dezembro de 2016 às 11:31 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Você já passou por isso: foi para um shopping, resolveu almoçar em um restaurante local e descobriu que tinha uma fila de espera gigantesca. Para piorar, te deram um bipe que parece ter sido construído na época do Império Romano e que só funciona 10 metros do restaurante.

E aí você passa duas ou três horas olhando para o restaurante, aumentando a fome (e a possibilidade de pedir mais comida) até ser chamado. É um problema chato e que poderia ser resolvido muito, muito facilmente.

Alguém, FINALMENTE demonstrou interesse em resolver esse problema. É o aplicativo Styme, plataforma de interação que gere a fila de espera entre restaurantes e consumidores. Ou seja, te permite entrar na fila de espera remotamente e monitorar tudo através do aplicativo. Ele resolve o problema das filas de uma maneira simples e funcional, como era de se esperar.

O Styme Host, para os restaurantes, organiza as listas de espera e reservas. Assim, ele monitora todo o tráfego de informações que passam pelo restaurante – se tornando uma ferramenta de CRM e gestão de processos. É um mercado gigante, que faz com que a Styme acredite poder lucrar alto com o serviço. O mercado de alimentação full service movimenta cerca de R$40 bilhões por ano no Brasil, o que o torna o quarto maior mercado do mundo.

A companhia tem a premissa de que “o modelo de reservas não funciona no Brasil”, fazendo com que os empreendedores veem grande potencial no segmento de esperas. “No mercado americano e europeu as grandes empresas de reserva não apresentam dificuldades em gerar fluxo, pois as reservas são a única forma de acessar os restaurantes mais procurados. No Brasil o cenário é diferente, reservas raramente são aceitas nos estabelecimentos mais badalados e quando aceitas são limitadas aos primeiros horários”, afirma um dos fundadores da empresa, Vinicius Rittes.

A empresa vai registrando bons resultados até agora. Até o momento ela conta com mais de 4.000 usuários e crescimento médio de 35% ao mês em seus principais indicadores. A companhia está captando R$ 150.000 para acelerar esse crescimento, com um valuation de R$ 3 milhões. Em duas semanas, já captaram 50% em captação fechada, abrindo os 50% pro público através do Broota, ou seja, você pode investir nessa startup com um mínimo de R$ 5.000.

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]