Adultos querem usar carros autônomos, mas não querem que seus filhos usem

Avatar

Por Paula Zogbi

2 de dezembro de 2015 às 10:18 - Atualizado há 5 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Um estudo realizado pelo Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE), uma organização profissional dedicada ao avanço da tecnologia, descobriu que adultos não se sentiriam confortáveis em deixar que seus filhos andassem em carros autônomos, por preocupações com segurança.

A pesquisa foi realizada com membros da sociedade de Transportes Inteligentes do IEEE e através das mídias sociais do Instituto, e usou uma escala de 1 a 5 para descobrir o nível de conforto dos entrevistados em ter carros autodirigíveis transportando seus filhos – sendo 1 “nada confortável” e 5 “muito confortável. Surpreendentemente, o número de especialistas que respondeu com notas abaixo de 3 foi maior do que o das pessoas que responderam pelas redes sociais: respectivamente 70,8% e 59,7%.

Os motivos principais para o desconforto, ainda de acordo com a publicação, são segurança (54,3% nas redes sociais e 62,6% dos especialistas) e confiança na tecnologia (20,7% e 15,9%, respectivamente).

Uma das principais questões de debate a respeito deste tipo de veículo é a culpa em caso de acidentes, já que não há um humano responsável pela condução dos carros.

Na pesquisa, a maioria dos entrevistados escolheu como culpados em casos de acidentes o fabricante ou o responsável pelo software instalado no transporte (54,6%). “Os projetistas e legisladores irão considerar o quão seguro é este tipo de veículo e como seu desempenho pode ser determinado, demonstrado e documentado. Estas são questões fundamentais de projeto, legislação e políticas públicas, que obrigatoriamente envolvem não somente engenheiros e especialistas em leis, mas também o público em geral”, afirmou Bryant Walker Smith, professor assistente de Direito na Universidade da Carolina do Sul e um dos maiores especialistas sobre os aspectos legais da crescente automação.

Em contrapartida, tanto os especialistas quanto os seguidores das redes sociais acreditam que em breve adotarão os veículos autônomos no dia a dia.

De acordo com as entrevistas, 3,1% dos seguidores de mídias sociais do IEEE usariam carros sem motorista para ir ao trabalho, seguido por viagens em rodovias (61,2%) e atividades rotineiras (60,0%). Quanto aos especialistas, mais familiarizados com a tecnologia, 75,5% usariam veículos autônomos para atividades rotineiras, 74,1% para deslocamentos diários para o trabalho e, para viagens rodoviárias, 60,7%.

O IEE mostra também que mais da metade dos seguidores de mídias sociais (61,6%) acredita que veículos autônomos já estarão disponíveis no mercado até 2025, mas 83,7% dos especialistas creem que os veículos sem condutor estarão disponíveis até 2030.