A relação entre empresas e pessoas mudou; e agora?

Da Redação

Por Da Redação

23 de setembro de 2016 às 14:52 - Atualizado há 4 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Nesta quarta-feira, a inovação no âmbito de Recursos Humanos foi um dos temas debatidos na Expomusic Talks, uma das atrações da 33ª Feira Internacional da Música, evento que ocorre em São Paulo até domingo. A presença da Pin People, startup focada, justamente, no recrutamento e na retenção de talentos, chamou atenção das empresas do ramo musical em relação ao principal ativo em qualquer negócio, as pessoas.

Frente às mudanças latentes nessa relação empresa – funcionário, até por conta da nova geração que ingressa na carreira e passa muito pouco tempo em cada emprego, a necessidade de inovação é para ontem. E a Pin People traz essa expertise de forma escalável. “Hoje contratamos pela competência técnica e demitimos pelo comportamento, isso porque o poder mudou de lado e pertence agora ao recrutado e não mais a quem recruta”, revelou Isabella Botelho, CEO da startup, durante sua palestra.

“Se o potencial funcionário, ainda na fase de candidato, tem transparência de imediato no que diz respeito à oportunidade proposta, a chance de engajamento é muito maior. Afinal, as informações estão mais transparentes de uma forma geral. Já existem sites, a exemplo do Love Mondays e do Glassdoor, nos quais os próprios funcionários avaliam seus contratantes e deixam os dados públicos”, complementou Isabella.

Frente a esse propósito, de ajudar as pessoas a identificar seu Jeito de Ser e conecta-las às empresas por meio desse matching com o DNA corporativo para, a partir daí, acompanhar seu desempenho e engajamento, que a Pin People está no mercado há dois anos e meio. Sua plataforma é inovadora e se baseia em inteligência artificial, o que permite a captura, análise e o cruzamento de dados relativos às características culturais e comportamentais de candidatos e de colaboradores para combiná-los ao ambiente de trabalho das empresas.

Sua ferramenta já capta dados “não óbvios” sobre as pessoas, por meio do questionário Jeito de Ser, entregando informações estruturadas – como o fit cultural dos candidatos – para aumentar a agilidade e assertividade da tomada de decisão de gestores e do RH. Desse modo, fornece um panorama, em tempo real, com base em indicadores de clima organizacional e possíveis tendências de comportamento.

“É importante então, no momento da entrevista para contratação, conhecer melhor o candidato, de modo a faze-lo tirar a máscara, entendendo se realmente combina com o ambiente corporativo em questão, além de avaliar se seria mesmo o candidato ideal para vaga disponível”, ressaltou a porta-voz no encontro. Segundo dados da Deloitte Human Capital Trends, 87% dos líderes de negócios estão altamente preocupados com retenção e engajamento.

Afinal, vale lembrar que o turnover de um funcionários pode custar de 30% a 400% do salário anual de cada funcionário e 80% do turnover decorre de erros de contratação. A Pin People é da está baseada na capital paulistana e, em abril deste ano, recebeu seu primeiro aporte de investidores-anjo no valor de R$ 600 mil.

[php snippet=5]
E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!