A regulação trabalhista não é boa para empreendedor e nem pro trabalhador

A gente precisa debater o assunto e, talvez, acabar com o que é ruim para o empreendedor e para o trabalhador também

Avatar

Por Felipe Wasserman

18 de novembro de 2016 às 14:21 - Atualizado há 3 anos

Eu vi uma matéria chata esses dias e eu queria falar um pouco sobre isso. 69% dos empreendedores vão ter problema com o pagamento do 13º salário para seus empregados. Isso é muito ruim!

A gente precisa debater o assunto e, talvez, acabar com essa lei que só existe aqui no Brasil e que é ruim para o empreendedor e, você pode não acreditar, mas também para o trabalhador!

Aqui na Petitebox eu me preparei o ano inteiro, mas qual a diferença disso ou pagar salários maiores? Eu gostaria muito de poder pagar salários maiores para nossos colaboradores, mas o excesso de leis trabalhistas me impede! E isso é verdade para a maior parte dos empresários! Não é verdade que o empreendedor ia transformar a não-obrigatoriedade do 13º em lucro, o certo é que o empreendedor vai ter que transformar a obrigatoriedade do 13º salário em salários menores.

Um empreendedor sério, sabe fazer a conta e nós seguramos o seu dinheiro o ano inteiro para te entregar no final do ano e mesmo você não podendo usar o dinheiro que seria seu durante o ano, você fica muito feliz de receber este “beneficio” no final do ano.

Para a grande empresa, é muito melhor ter o dinheiro em caixa rendendo durante o ano inteiro do que pagar salários maiores. Para o trabalhador, é pior! O ideal é que ele tivesse consciência do dinheiro e guardasse um pouco para o final do ano e começo do ano, não é o Estado que deveria fazer esse tipo de obrigação para ele.

Só que a demonização do empreendedor, no Brasil, impede que a gente tenha uma discussão minimamente racional sobre o assunto. Em um ambiente de crise, eu entendo que muitas empresas vão ter problema para fazer esse pagamento. Passaram o ano inteiro com problema de caixa. E então vão ter que fazer empréstimos ou vender ativos para pagar o 13º, agravando a crise da empresa. Não é racional. Acho que uma reforma trabalhista séria deveria adereçar essa questão e tantas outras que fazem o Brasil ser um dos países mais complexos para se ter um empregado. Excesso de regras e regulação nunca são positivas, nem para o empresário, nem para o trabalhador.

Para terminar acho importante falar sobre alguns outros benefícios que não são verdadeiramente benefícios. O primeiro é a dificuldade e o custo em demitir alguém, caso a empresa decida demitir um funcionário em grande parte dos casos ela tem dois motivos, o funcionário não está fazendo um bom trabalho e segundo a empresa não está bem financeiramente e precisa cortar. Em ambos os casos ser custoso para demitir atrapalha a empresa e não ajuda o funcionário. Para piorar, ter uma demissão custosa faz com que a empresa pense 10 vezes antes de contratar alguém, especialmente no momento atual em que não temos ainda tanta segurança sobre o que vai acontecer com o futuro do Brasil, e aí não contratamos o que somente dificulta a melhora na vida dos milhões de desempregados que querem muito trabalhar.

A segunda é sobre o salário mínimo, quem ele realmente está ajudando. Se um patrão e um funcionário aceitarem um valor para o serviço por qual motivo o Estado tem que interferir nisso? Vamos a um exemplo básico, imagina que eu queira contratar alguém com uma qualificação baixíssima, como um pedinte por exemplo. Eu negocio para ele um valor abaixo do mínimo mas bem mais do que ele consegue na rua, ele aceita com muito prazer, mas ai o Estado me proíbe e em vez de eu contratar 2 dessas pessoas acabo contratando um estagiário que precisa, em muitas vezes, bem menos do trabalho mas é mais qualificado. E continuamos com um grande desemprego. Isso ajuda quem?

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]