A internet das coisas (the internet of things)

Avatar

Por Erica Queiroz

17 de julho de 2016 às 21:33 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

 

A internet das coisas é algo que, pouco a pouco, está revolucionando o mundo como o conhecemos hoje.

Para quem não sabe, a internet das coisas refere-se a todas as coisas estarem conectadas à net. Por exemplo: hoje estamos acostumados com smartphones, tablets, TVs e smartwatches conectados à internet. Mas não é só isso: brevemente, nossas geladeiras, carros, aquecedores, casas e tudo mais que pudermos pensar estarão conectados à net! E, além de estarem conectadas à internet, as coisas também estarão conectadas entre si.

Num futuro próximo, a geladeira poderá nos avisar quando falta um produto ou mesmo deixar nossa lista de supermercado pronta, no tocante aos produtos nela armazenados. Poderemos acender ou apagar as luzes de casa à distância, abri-la para alguém entrar ou trancá-la após alguém sair. Se a visita chegar antes, poderá nos esperar na sala.

Nos países desenvolvidos, muitas casas já são eletronicamente controladas. Outro dia fiquei brincando com um aplicativo que fazia todas essas coisas na casa de uma amiga, nos EUA. Podíamos ver se alguém se aproximava da casa, abrimos a porta para os funcionários de uma empresa fazerem a entrega de um sofá, enfim, víamos tudo o que acontecia em tempo real e podíamos controlar tudo, daqui de São Paulo, a milhares de km de distância. E caso os funcionários que fizeram a entrega do sofá tentassem roubar alguma coisa na casa, tudo estava sendo filmado e nós poderíamos disparar o alarme com um simples toque no celular!

Se o seu filho sair de casa e esquecer de desligar o ar-condicionado, você poderá fazê-lo por ele e economizar energia. Se a temperatura externa cair demais, você pode ligar o aquecedor para sua casa já estar aquecida quando você chegar. E, apesar de não ser uma ideia nada sustentável, você pode acender algumas luzes de casa nas noites em que toda a família estiver viajando, para afastar possíveis ladrões!

Médicos monitorarão pacientes à distância, beacons enviarão descontos em lojas para o seu celular, fazendeiros monitorarão os solos de suas plantações… Enfim, tudo estará conectado!

Há muitos benefícios que a internet das coisas, conhecida lá fora como IoT (the internet of things), pode trazer. Mas também há algumas desvantagens – já pensou se alguém te pegar como refém e puder ter acesso a toda a sua vida pelo seu smartphone? Ou o que isso pode causar a uma empresa, se um hacker invadir o seu sistema por um desses equipamentos? Aí está um filão onde você poderia desenvolver uma startup: segurança cibernética.

Mas, por enquanto, vamos pensar nas vantagens que a IoT pode nos trazer. Como todos os equipamentos podendo estar conectados, quantas novas ideias para startups podem surgir disso? Quantos novos serviços serão necessários para desenvolver esse novo mundo? Quais os tipos de conserto e upgrade esses equipamentos necessitarão? O que você pode fazer para melhorar algum serviço que já existe hoje? Como será o marketing feito para estes equipamentos?

Obviamente, o preço desses equipamentos ainda é muito alto, mas tende a cair bastante no médio prazo, como tudo o que envolve tecnologia. Hoje, o acesso a estes equipamentos é quase que exclusivo às grandes empresas e aos governos, que possuem dinheiro e know-how para investir neles. Mas quem se aprofundar nessa área poderá sair na frente e se tornar um líder de mercado num dos inúmeros segmentos que a internet das coisas poderá abrir. Pense nisso!