Como nasceu e cresceu a StartSe Corporate

Criada há um ano e meio, a unidade de inovação corporativa da StartSe já atendeu mais de 70 clientes, com projetos inovadores no Brasil, Vale do Silício e China

0
shares

Você sabe o que é a Nova Economia? A expressão foi criada no final da década de 1990 para descrever a transição de uma economia de indústria para outra baseada em serviços. Hoje, ela tem um significado mais abrangente e precisa ser entendida como parte de um movimento composto por três fenômenos: Novas Tecnologias, Nova Economia e Nova Gestão. As novas tecnologias, cada vez mais acessíveis, aceleram a transformação rumo à Nova Economia onde as startups representam um modelo onde o que há de mais abundante é a experimentação. Esse novo momento traz a necessidade de adaptação a um modelo de gestão empresarial mais empreendedor e inspirado nas startups, já que a incerteza é uma constante e a dinâmica dos negócios é cada vez mais aberta e colaborativa. Para fazer parte desse jogo, pessoas e empresas precisam entender e absorver o mindset da Nova Economia e utilizar as novas ferramentas de gestão disponíveis para acompanharem o ritmo dos negócios atuais.

Dentro deste contexto, desde 2015, a StartSe vem se transformando na maior plataforma de aprendizado contínuo para empreendedores, investidores e empresas. Como parte dessa trajetória, ao longo de 2016, o embrião de uma nova vertical começou a surgir na StartSe para conectar empresas que operam na economia tradicional às startups e aos ecossistemas de inovação. “Diante deste cenário, tínhamos três hipóteses: de que empresas brasileiras precisavam inovar continuamente para manterem-se competitivas; de que no Vale do Silício essa conexão já era muito madura e chegaria no Brasil com força; e por fim de que a mudança de mindset dos executivos, o jeito de pensar e fazer negócios, deveria ser o primeiro passo de qualquer processo de transformação cultural e negócios”, explica Felipe Leal, líder da StartSe Corporate.

Para Leal, se os principais líderes da companhia estiverem, desde o início, com o mindset correto, toda jornada de inovação fica mais fácil. Assim, a validação dessas hipóteses foi realizada com as três primeiras empresas que se aproximaram da StartSe naquela época: FlyTour, Cetelem e Visa. Elas tinham desafios e objetivos que poderiam ser resolvidos por meio das soluções de startups, e o papel da StartSe foi conectar as duas partes. Uma grande aliada nesse processo foi a nossa plataforma online que possui mais de 12 mil startups registradas na comunidade StartSe. Em seguida, em um outro projeto, foi a realizado um encontro entre startups jurídicas (lawtechs) e diretores dessa áreas em grandes empresas. “Foi muito importante porque os executivos conheceram soluções que tornavam as atividades da área mais produtivas e econômicas”, ressalta Leal. Dessas validações nasceram os dois primeiros serviços (Screening e Breaking the Walls - ver descrição abaixo). E por consequência, no início de 2017, formalizou-se a criação da StartSe Corporate como uma nova vertical de negócios da empresa.

Inspiração e melhores práticas

Para buscar inspiração e conhecer as melhores práticas de conexão entre empresas e startups, Leal decidiu ir para o Vale do Silício. “Conhecer um dos lugares mais inovadores do mundo abriu minha cabeça e me apresentou os melhores cases de corporate venture – termo utilizado para explicar a aproximação e conexão de empresas estabelecidas e startups. Voltei muito mais preparado para falar com as companhias sobre inovação”, explica. A partir daí, a StartSe Corporate cresceu e precisou se estruturar para atender as mais de 70 empresas que já realizaram projetos inovadores por meio dos serviços da unidade. Hoje o time Corporate conta com oito pessoas que cuidam dos produtos e serviços e atendem os clientes de forma segmentada, no Brasil, Vale do Silício e China.

Um ano e meio depois da criação da área Corporate, algumas empresas ainda confundem a StartSe Corporate como sendo consultoria, mas Leal deixa claro: “Não somos consultoria, pois buscamos escalar o relacionamento com o mundo corporativo, o que é um desafio. Temos trabalhado, especialmente nos screenings, em parceria com algumas das mais experientes consultorias e aceleradoras quando o assunto é implementação dessa conexão”. As principais consultorias parceiras dos screenings da StartSe são Innoscience, Kyvo, ACE Córtex, Wefit e The Bakery. Segundo Leal, a StartSe Corporate se relaciona com todos os tipos e tamanhos de empresas - não só as grandes. “Quando falamos em corporate, significa qualquer empresa que tenha um modelo de negócios estabelecido. Inovar com e/ou como startups é possível (e necessário) para todas as empresas”, explica.

Trabalhar de forma colaborativa, não só com o ecossistema mas também com as diversas frentes da própria StartSe (eventos, missões, cursos online, etc) e colocar o cliente no centro sempre, entendendo as suas necessidades são alguns dos motivos para o rápido crescimento da área. “Conseguimos crescer tanto em número de clientes quanto receita. Os negócios realizados nos últimos seis meses foram dez vezes maiores do que os seis primeiros, compatível com a escala que buscamos no Corporate”, diz Leal. Para o futuro, novas hipóteses já estão no radar e serão validadas em breve. “Por exemplo, a StartSe está mudando sua sede no Vale do Silício para Palo Alto e lá teremos espaço para o desenvolvimento de projetos junto com times de empresas, funcionando como um Lab físico de inovação. Uma ótima oportunidade para expandir o escopo atual do CVS.”

Se quiser saber mais sobre a atuação da StartSe Corporate, envie um email e o nosso time terá o maior prazer em atendê-lo.

Mais de 70 empresas já realizaram projetos transformadores em parceria com a área de inovação corporativa da StartSe

Conheça os principais serviços da StartSe Corporate

Workshops e Palestras

Funcionam como a porta de entrada para a Nova Economia. Com os cursos e palestras, a empresa pode levar para dentro do negócio conteúdos sobre inovação e tecnologia que transformam a forma como os executivos se preparam para atuar nesse novo contexto. Neles, conhecem metodologias e formatos de conexão com startups e os maiores cases de Corporate Venture do Brasil. Alguns clientes dos workshops da StartSe: Electrolux, Melhoramentos, Arysta Life Science, CC Infra, Estapar, Real Food, Grupo Fleury e Fundação Dom Cabral.

Cursos online

Uma forma rápida, escalável e on demand para os colaboradores das empresas tradicionais aprenderem sobre a Nova Economia, o jeito startup de ser, pensar e realizar negócios e projetos e como as empresas estabelecidas podem participar desse processo de inovação.

Branded content

A StartSe possui o mais relevante portal de notícias e conteúdo sobre empreendedorismo do Brasil. Através desse canal, empresas podem comunicar suas histórias, realizações e contribuições relacionadas à inovação e ao ecossistema de startups, sempre focando na qualidade do conteúdo entregue aos leitores e usuários do portal.

Screening

É o processo de busca e seleção de startups realizad0 de acordo com a estratégia de inovação ou necessidade da empresa. O Screening pode ou não ter o apoio das empresas parceiras da StartSe. O processo começa quando a StartSe recebe os desafios da empresa e faz uma busca tanto na sua base de startups quanto no ecossistema de empreendedorismo no Brasil e no mundo, selecionando as melhores para serem apresentadas à empresa num pitch day. Alguns cases de screening conduzidos pela StartSe: Cetelem, Flytour, Multiplus, Suzano, Ambev, Liberty Seguros, Cia Hering, Safira Energia, Engebanc, CC Infra, Rodobens e Nextel. São exemplos de screenings conduzidos em parceria com a consultoria de inovação Innoscience: Alphaville Urbanismo, Banricoop, Braskem, Klabin, M. Dias Branco, Sicredi e Danone. E, ainda um screening em parceria com a consultoria em inovação Kyvo: Visa.

Divulgação de Programas do Ecossistema

O portal de notícias e conteúdo da StartSe e demais mídias sociais, como sendo o principal canal que fala da Nova Economia, é a melhor plataforma de divulgação de programas relacionados ao ecossistema. De programas de conexão com startups a eventos relevantes para o ecossistema, a divulgação por meio dos canais da StartSe potencializa o sucesso dessas e de outras ações.

Breaking the Walls (BTW)

Ciclo de apresentação e conexão de startups para empresas estabelecidas, por áreas específicas e comuns entre as mesmas (RH, Jurídico, Marketing, Vendas, Financeiro, PMO, TI e Compras). São 4 encontros (um por mês) cobrindo 2 dessas áreas. Ao final do ciclo, as empresas são conectadas com 40 startups prontas para serem contratadas como fornecedoras das áreas e ajuda-las a serem mais produtivas. Desde o início do BTW em Abr/17, mais de 150 startups e 40 empresas estabelecidas já participaram das rodadas, como por exemplo: Tigre, Suzano, Cetelem, Rodobens, Ambev, Grupo Zema, Brasilprev, Grupo Segurador BB e Mapfre, Liberty Seguros, Estapar, Cardif, Nestlé e Nextel.

Corporate Venture as a Service (CVS)

Serviço onde a StartSe faz o papel de posto de inovação avançado das empresas brasileiras no Vale do Silício e China, ou seja, somos a base de inovação e inteligência dessas empresas nesses ecossistemas. São realizados, ao longo de pelo menos 6 meses, mapeamentos de inteligência de tendências tecnológicas e mercados que, após um criterioso processo de seleção junto à empresa, culminam na possibilidade de conexão com as melhores startups e oportunidades de negócios. É a empresa com presença no Vale do Silício e China através do time e da estrutura da StartSe sediados nesses ecossistemas. Principais cases do CVS: Tigre, Gerdau, iCarros, Libbs, Aron & Hirsch e CTE.

Missão Corporativa (grupos exclusivos)

Uma imersão para que a empresa conheça na prática como funciona o mindset e o ambiente de negócios de tecnologia e inovação do Vale do Silício e China. Seja para executivos da liderança, premiações de programas internos, clientes ou fornecedores, a StartSe prepara uma agenda de até 5 dias de acordo com os interesses da empresa. Cases de grupos exclusivos: no Vale do Silício (Banco do Brasil, SPC Brasil, Cosan/Raízen, Assobrav/Abrahy, São Martinho, Lojas Lebes, Unilever, Alelo/Cielo, O Boticário, BTG Pactual, Monsanto e DSM); na China (Itaú BBA).

Imersões Vale do Silício, China e Israel (grupos abertos)

Se a empresa preferir não ter um grupo exclusivo, mas enviar seus executivos em turmas abertas, a StartSe possui imersões em 3 formatos diferentes sempre com duração de 5 dias. O primeiro são as chamadas missões regulares. São grupos de aproximadamente 25 pessoas que tem uma agenda abrangente que cobre diversos temas e assuntos. O segundo formato são as missões nichadas. Esses grupos, também de 25 pessoas, possuem uma agenda segmentada num tema específico, por exemplo: Missão Fintech, Missão Agro, Missão Edtech, Missão Healthtech, entre outras. Já o terceiro tipo é chamado de Learning Experience, composto por um grupo de 100 pessoas que além das visitas, workshops e palestras, é dividido em times que criam na prática uma startup ao longo da semana de imersão.

Patrocínios a eventos

A StartSe realiza mais de 30 eventos por ano relacionados ao impacto das inovações que as tecnologias e as startups estão causando nos modelos de negócios tradicionais. As empresas que buscam um posicionamento institucional ou de produto relacionados à inovação, tem nos eventos da StartSe a principal plataforma de branding e relacionamento com clientes do mercado.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários