50% dos jovens acham que as startups vão reinventar o sistema financeiro

Junior Borneli

Por Junior Borneli

28 de julho de 2017 às 10:47 - Atualizado há 3 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Segundo estudo feito pelo Goldman Sachs e publicado pelo site norte americano Business Insider, 50% dos jovens da geração Y acreditam que as startups de tecnologia vão reinventar a forma como os serviços financeiros são oferecidos.

O estudo mostra ainda que 33% desses jovens acreditam que não vão precisar de um banco em um prazo de cinco anos. Esse movimento será debatido durante a maior conferência de fintechs do Brasil, que será realizado em São Paulo, no dia 15 de agosto.

Em diversos países estão surgindo empresas inovadoras, lideradas na maioria das vezes por jovens empreendedores, que estão se aproveitando das brechas deixadas por bancos, corretoras e seguradoras para crescer. Um dos principais pontos fracos dos grandes players do mercado financeiro é a insatisfação dos clientes com a cobrança de altas taxas e do atendimento de má qualidade.

E é nesse ponto que empresas brasileiras como Nubank, Banco Neon, Guia bolso e tantas outras fintechs têm encontrado grandes oportunidades, a ponto de incomodar gigantes como Bradesco e Itaú.

O sistema financeiro mundial está passando por uma transformação e até mesmo a forma como as pessoas tomam crédito está se transformando. A prova maior disso é a empresa Lending Club, uma espécie de “Uber dos Empréstimos” que conecta quem tem dinheiro a quem precisa de dinheiro. Com investimentos de quase U$ 1 bilhão, a empresa alcançou valor de mercado de US$ 8,5 bilhões, ficando na 15ª posição entre 835 instituições financeiras americanas.

O fenômeno é tão impactante que 4% das empresas de base tecnológica que nascem no Brasil são voltadas para o segmento financeiro.  Destaque para os serviços de pagamentos, gestão financeira, empréstimos, financiamentos, bitcoin e seguros.

Para saber como participar da Conferência de Fintechs, clique aqui e conheça toda a programação.