3 tendências que estão impactando pequenos negócios

Avatar

Por Isabella Câmara

19 de abril de 2016 às 18:49 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nos últimos anos o número de novos pequenos negócios cresceu de forma vertiginosa, e mesmo agora no período de crise que vivemos em 2016 esse número continua subindo, ao mesmo tempo que outro fator praticamente oposto também aumenta: o número de negócios falindo.

De forma bastante simplificada podemos dizer que ambos são originados pelo mesmo motivo. Na crise muitas pessoas perderam seus empregos e apostam no empreendedorismo como uma forma de ter uma fonte de renda, daí o crescimento no número de novos negócios, em contrapartida muitos dos negócios que estão fechando hoje, começaram a operar em um período muito mais propicio da economia e não estavam preparados para enfrentar períodos turbulentos como os atuais, daí o aumento no número de pequenos negócios decretando falência e fechando as portas.

Nesse artigo vou falar de de três tendências a muito conhecidas das startups, mas que só agora os pequenos e médios negócios estão levando em consideração de forma mais concreta e que podem te ajudar imensamente a começar e crescer um negócio durante a crise e caso já tenha um, saber usar essas tendências e ferramentas ao seu favor, podem ser a diferença entre sobreviver ou não ao atual período da economia.

1 Mídias sociais 

A grande maioria dos negócios hoje possuem um perfil ou página no facebook e alguns até usam outras mídias como o Instagram e Twitter e em casos mais raros algumas outras mídias sociais menos conhecidas. O problema é que a grande maioria dos empreendedores (e aqui se incluem aqueles que estão construindo startups) não entende que não basta ter um perfil nas mídias sociais.

É preciso entender o público com o qual seu negócio conversa, quem é, onde vive e o que ele gosta. Afinal, se você tem um mercado de produtos orgânicos em Belo Horizonte, não faz o mínimo sentido para o seu negócio que 80% dos seus fans sejam do Rio de Janeiro.

O segundo ponto é que como o nome diz, trata-se de “Mídias sociais”, a parte do Mídias a maioria já entende, criando imagens e posts interessantes, porém a parte do “social” ainda é ignorada por muitos empreendedores. Mais do que postar imagens bonitinhas, é preciso que esses canais sejam formas do seu público interagir com você, sua marca e seu negócio. Responda os comentários, mensagens privadas, dê like nos compartilhamentos, seja “amigo” dos seus seguidores, isso aumenta o seu engajamento e o alcance orgânico das suas redes.

 

2 CRM 

A grande maioria dos negócios digitais já conhece o termo “CRM” (Custom Relationship Management) a um bom tempo, porém nos negócios tradicionais isso ainda é algo muito ignorado. O CRM é uma forma de automatizar a relação entre seu negócio e seus clientes. 

Vamos supor que o seu negócio seja uma loja de roupa, ao cadastrar um cliente no CRM, você informa alguns dados como nome, email, telefone, data de aniversário e mais algumas informações. Ao usar o CRM você pode programar para que alguns dias antes do aniversário desse cliente você envie um email ou um sms com algo como: “Parabéns pelo seu aniversário, esse é o nosso presente: Um cupom de 10% de desconto na sua próxima compra”  .

Esse tipo de sistema ajuda a fortalecer o vinculo entre cliente e negócio, mostrando preocupação e aumentando a empatia. E esse é somente uma das diversas possibilidades que o uso do CRM em seu negócio oferece.

 

3 Não se faz tudo sozinho

Outro fator que está se tornando decisivo para os pequenos negócios é a capacidade de entender o custo de “se fazer tudo”, hoje em dia a criação de soluções internas para todos os problemas e necessidades se traduz como um custo de eficácia no que realmente precisa ser feito, economizar 100 reais por mês na licença de algum software ou contratando uma consultoria, pode significar perder de 3, 4 ou 5 vezes esse valor em vendas, pois você está transferindo o foco do seu negócio daquilo que realmente importa para atividades secundárias.

Os novos negócios entendem que buscar por parcerias como o SEBRAE, juntas e associações comerciais e até parcerias bilaterais com outros negócios, pode ser uma forma de aumentar vendas ou reduzir despesas, mesmo que isso signifique um investimento financeiro no inicio, a médio e longo prazo (e muitas vezes a curto também), trabalhar com parcerias ou contratando alguém especializado para fazer algo ao invés de tentar resolver todos os problemas sozinho tende a ser a melhor solução.

 

Faça o download desse post em PDF clicando aqui!