Os principais insights que tirei do livro Incansáveis

Que o livro Incansáveis pode te ensinar sobre inovação, empreendedorismo e tecnologia? Nesse texto eu explico os principais insights

0
shares

Já fazia um tempo desde que eu não lia um livro no estilo de Incansáveis. Ele não é um livro técnico que te ensina a fazer algo, mas também não é uma auto ajuda, na minha visão, ele é uma fonte de pontos de reflexão.

Se você ainda está dúvida se as startups e o boom das empresas de tecnologia veio para ficar ou é só uma onda passageira, sem dúvidas essa leitura vai tirar muitas delas. Nesse texto, quero abordar alguns dos principais insights e pontos de reflexão abordados:

Tudo está mudando muito rápido

O mundo está sempre em constante mudança, todos os dias algo novo surge e algo antigo morre, porém, as mudanças atuais são diferentes em uma coisa: o ritmo.

Antigamente quando uma nova inovação surgia, levavam-se décadas até que ela fosse amplamente adotada, hoje, em poucos meses as coisas já são completamente diferentes de antes.

Mudanças de paradigmas e de formas de se enxergar questões de conectividade e combinação de novos elementos, bem como a própria internet, não só estão acelerando o ritmo das mudanças, como a velocidade com a qual elas acontecem e se espalham.

Entender que tudo está acontecendo mais rápido do que você imagina, é crucial para não ser engolido na corrida da inovação.

O consumidor é quem dita as regras

Raramente vejo algum amigo questionando por quê cada vez mais pessoas preferem o Uber aos Taxis, ou a internet e a Netflix à TV aberta.

Também quase nunca vejo alguém (com exceção dos mais xiitas) estranhando o fato de que prefiro pagar uma assinatura do Spotify, ao invés de comprar dezenas de CDs físicos.

Porém, é bastante normal ver pessoas reclamando de por quê a globo não passa o campeonato de futebol feminino no domingo a tarde. Ou por quê o programa das manhãs é Encontro Com a Fatima Bernardes e não Cosmos.

A verdade é que isso se deve a um fator simples: quem manda é o publico, e infelizmente algumas coisas possuem mais publico de que outras.

Empresas e produtos surgem e morrem diariamente, o fator determinante para isso é a demanda das pessoas. Se um novo modelo proposto for adotado pelo publico, não existe mais volta, a empresa que originou aquilo pode até morrer, mas o modelo proposto fica, basta observar o Napster, que mesmo morrendo, mudou a indústria da música.

Da mesma forma, os eSports até pouco tempo atrás não eram nem sequer mencionados pela TV assim como o futebol feminino ou outros esportes.

Mas os Fans dos jogos online começaram a acompanhar, transmissões em streaming pelo Twitch, motivaram campeonatos de Dota, LOL e CS:GO, e hoje a própria Globo está criando um programa sobre o tema.

A medida que o publico demonstra interesse por algo, as empresas só possuem duas escolhas, se adaptar ou morrer.

No começo a inovação pode ser invisível, assustadora ou mesmo risível

Esse foi na minha visão o ponto melhor abordado no Livro.

Em algum lugar no mundo, nesse exato momento, alguém está desenvolvendo algo que irá substituir uma tecnologia que existe hoje, e muito provavelmente se eu te apresentasse esse algo nesse momento, você daria risada.

Depois, a medida que essa nova tecnologia se tornar mais popular, caso ela afete algo com o qual você trabalha, você provável vai ficar assustado.

Isso acontece diariamente. A 20 anos atrás (ou até menos), falar de robôs substituindo pessoas trabalhando com algo complexo, faria com que a maioria dos trabalhadores daria risada daquilo. Porém hoje isso é uma realidade.

Assim como falar de carros autônomos, faz com que alguns motoristas deem risadas, dizendo que isso não vai acontecer em larga escala, mas quem está no meio sabe que já está acontecendo.

A inovação é assim, ela começa invisível, as vezes, meio desengonçada, depois, começa a crescer e assusta, mas depois, o segundo insight desse que mencionei se torna implacável.

Inovação não é algo isolado e restrito

Foi-se o tempo em que para inovar você precisava ter acesso a um laboratório e milhões de dólares em recursos.

Foi-se o tempo em que somente algumas poucas mentes tinham potencial de criar algo novo. A democratização do conhecimento graças a internet, bem como a conexão que ela proporcionou tornou a inovação algo igualmente democrático.

Hoje, você pode aprender a programar, ou a usar um sistema de inteligência artificial por conta própria, e então, usar isso para salvar milhares de vidas, como esse pai fez após perder sua filha. Ou então, mudar a educação, como fazemos no Empreenda Junto.

Para uma pessoa vivendo na classe média do Brasil hoje, basta a motivação correta e força de vontade, para que ela mude completamente a sua vida e a de milhares de outras pessoas, algo impossível até pouco tempo atrás.

Ser pequeno pode ser uma vantagem

O motivo pelo qual vemos tantas empresas que já existem a décadas sendo engolidas por startups que não existiam a 5 anos atrás, ou ainda, ver investidores e fundos colocando bilhões nesses novos negócios é um só: são essas novas empresas quem melhor podem aproveitar as mudanças.

Quando uma empresa cresce, ela precisa adotar uma estrutura de organização mais complexa e até um pouco mais rígida para poder funcionar, com isso ela perde parte da sua flexibilidade e poder de mudança.

Por outro lado, uma startup com 3 amigos e muita força de vontade, pode mudar a qualquer momento, se adaptando a novas tecnologias, pivotando seu produto, manter os custos baixos e a velocidade alta, algo que quando usado corretamente se torna uma arma poderosa na guerra entre Dinossauros e Unicórnios.

Estamos somente no começo e não dá para voltar atrás!

Aqui está o ponto mais interessante de todo o livro, apesar de acreditar que foi um dos que de modo geral ficaram um pouco auto ajuda,  ele é também um dos pontos colocados de forma mais contundente.

Toda essa velocidade, todas as mudanças, toda a tecnologia, isso é só o começo.

Ainda temos muitos problemas para resolver a tecnologia bem como o ritmo da inovação ainda está acelerando, estamos no começo da criação de algo novo, a próxima revolução não será como a revolução industrial, não estamos mais falando de trocar músculos, mas de interligar e até substituir mentes.

Estamos falando de algo que ainda não temos a menor ideia de como vai acontecer. Robô compondo músicas e salvando vidas ao diagnosticar doenças, é um conceito completamente diferente de termos maquinas operando linhas de montagens em fábricas.

Hoje, nós ainda não sabemos o que nos espera, mas não existe mais um caminho de volta, agora é seguir em frente e encarar o mundo que nos aguarda.

Por fim e sendo bastante sincero, o livro me surpreendeu de forma positiva, os pontos abordados não foram superficiais ou achismos, e a escrita ficou bastante fluída. Por isso agradeço ao Felipe Moreno por ter me indicado a leitura, e espero que esse texto motive você a ler também.

Se gostou do que leu até aqui, acesse o livro através desse link, veja uma prévia dele de graça e depois compre e leia até o final.

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários