Startup que produz teia de aranha levanta US$ 123 milhões

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

4 de janeiro de 2018 às 15:05 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Bolt Threads é uma startup que produz teia de aranha a partir de proteínas, açúcar e outros materiais. Nenhuma aranha é envolvida durante o processo – a startup chegou ao resultado final ao estudar o DNA delas. As teias são transformadas em tecidos, os quais a Bolt Threads promete mais força, flexibilidade, conforto, resistência à água e maciez.

Em novembro, foi divulgado que a startup havia recebido US$ 106 milhões da Formation 8. Agora, a startup divulgou que mais US$ 213 milhões foram adicionados a rodada. O investimento de série D foi liderado pelo Baillie Gifford, com participação da Formation 8, Founders Fund, Fidelity Management, entre outros. O investimento será utilizado para continuar desenvolvendo o material e comercializá-lo.

A startup foi lançada em 2009 e no começo de 2017 lançou a primeira peça de roupa: uma gravata. A peça era limitada e foi vendida por US$ 314.

“Depois de anos de pesquisa e desenvolvimento, nós estamos orgulhosos de trazermos a primeira teia de aranha feita por humanos ao mercado, mas sabemos que isso é apenas a ponta do que é possível em inovação material. Com o investimento, nós continuaremos a refinar nossos processos e olharemos para as parcerias excitantes e produtos previstos para 2018”, disse o CEO e co-founder Dan Widmaier.

A startup não informou quais serão as parcerias que estão por vir, mas no passado já colaborou com a estilista Stella McCartney.

O uso da teia de aranha feita por humanos traz uma alternativa sustentável e inovadora frente aos tecidos que conhecemos hoje. A startup busca fugir de polímeros baseado em petróleos, processos tóxicos ou materiais não renováveis. Essa inovação faz parte da Nova Economia, que utiliza a tecnologia como uma aliada na revolução feita por pessoas. Aos poucos, o mundo está sendo transformado – até o tecido que utilizamos está mudando. Para conhecer outras inovações trazidas pela Nova Economia, participe do evento 2018 – A Revolução da Nova Economia que preparamos para você.

(Via Techcrunch)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha em patrocinar os eventos da Startse, entre em contato no patrocinio@startse.com.

[php snippet=5]