Construção Vs. Imobiliário? Saiba como estão os investimentos nessas áreas

Avatar

Por Isabella Câmara

10 de janeiro de 2018 às 16:22 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Os níveis de negócio e atividades de financiamento das indústrias de tecnologia imobiliária e de construção aumentaram significativamente à medida que startups aplicaram novas tecnologias a esses setores tradicionais.

Inscreva-se no Construtech Conference e fique por dentro das últimas inovações da área!

De acordo com um estudo do CB Insights, o mercado de tecnologia imobiliária registrou um investimento de mais de US$ 2,6 bilhões em 277 negócios somente em 2016. Já a indústria de construção, contou com a injeção de US$ 1,8 bilhões desde 2013.

O que são esses dois setores?

Segundo o instituto, o setor de tecnologia de construção é definido como “startups trabalhando em projetos de construção, colaboração em equipe e gerenciamento de sites de projetos, bem como empresas que usam drones e análises de dados para transformar o mapeamento e o levantamento tradicional dos canteiros de obras”.

Já a indústria de tecnologia imobiliária, de acordo com eles, é definida pela utilização de softwares por corretores, investidores, credores imobiliários, prestadores de hipotecas, gerentes e possíveis compradores.  Para o CB Insights, serviços de aluguel de viagens, como Airbnb, não são incluídos nesse mercado.

Construção Vs. Imobiliário

O setor de tecnologia imobiliária é significativamente maior, melhor estabelecido e registra um total de financiamento global superior ao mercado de construção. A Homelink, unicórnio de tecnologia de imóveis mais bem financiada, recebeu cerca de US$ 1,69 bilhões no financiamento total da Baidu, Tencent Holdings e outros investidores.

O setor de construção também possui unicórnios: A Katerra, o fornecedor de sérvios de construção, tornou-se recentemente o empreendimento mais bem financiado da área ao levantar mais de US$ 264 milhões. A sua mais recente rodada de financiamento, que contou com a participação da Khosla Ventures, foi uma rodada da séria C de US$ 130 milhões no segundo trimestre de 2010.

Smart Money no setor de tecnologia imobiliária

Muitos investidores da área buscam investir seu dinheiro em conjunto com outros investidores e até mesmo financiar os principais players em tecnologia de imóveis e de construção. Ainda segundo a pesquisa, cerca de 21 investidores participaram de rodadas de financiamento para empresas de tecnologia imobiliária, enquanto somente 15 investiram em empresas de construção.

Andreessen Horowitz é o principal investidor de smart money com investimentos em sete empresas de tecnologia imobiliária e cinco startups de tecnologia de construção. A plataforma Cadre, cofundada por Jared e Josh Kushner, é o investimento imobiliário mais bem financiado pelo Andreessen Horowitz.

Outros principais investidores de smart Money na tecnologia imobiliária são o Greylock Partners, Bessemer Venture Partners e General Catalyst. Cada um, de acordo com o CB Insights, investiu em 5 empresas de tecnologia imobiliária.

Já em relação as principais áreas de financiamento de smart money para tecnologia imobiliária, são soluções de hipoteca, crowdfunding e corretoras habilitadas para tecnologia.

Smart Money na indústria de construção

Os investimentos no setor foram destinados a uma variedade de áreas dentro da tecnologia de construção, como soluções de colaboração e software de gerenciamento de projetos. A empresa de fundos mais bem financiada, de acordo com o CB Insights, é a plataforma Uptake Technologies, que arrecadou US$ 135 milhões da New Enterprise Associates e outros investidores.

Quer saber mais sobre o setor de construção e imobiliário? Inscreva-se no Construtech Conference e fique por dentro das últimas inovações da área!

Andreessen Horowitz realizou 5 investimentos em empresas de tecnologia de construção, o mais financiado foi o Airware. Apesar de não ter participado de nenhuma rodada de investimento no segmento imobiliário, a Andreessen participou de várias rodadas de financiamento do Airware e do Onshape.

Com investimentos em 3 empresas de tecnologia de construção, a Kleiner Perkins Caufield & Byers ocupa o segundo lugar em investimento total em tecnologia de construção após a Andreessen. Um dos investimentos da empresa é na Solidia Technologies, startup que desenvolveu uma tecnologia sustentável de cimento e concreto.

Os principais investidores de Smart Money

Para analisar as tendências do smart money no setor de tecnologia da construção e de imóveis, o CB Insights analisou a atividade de 24 empresas de capital de risco, selecionadas de acordo com avaliações de portfólio e resultados de investimento, e as ranqueou de acordo com a lista abaixo:

  1. Sequoia Capital
  2. Benchmark Capital
  3. Parceiros Accel
  4. Greylock Partners
  5. Andreessen Horowitz
  6. Union Square Ventures
  7. Capital da primeira rodada
  8. Bessemer Venture Partners
  9. Kleiner Perkins Caufield & Byers
  10. New Enterprise Associates
  11. Fundo Fundadores
  12. Lightspeed Venture Partners
  13. Grupo de fundição
  14. Index Ventures
  15. Khosla Ventures
  16. Capital social
  17. Emergence Capital Partners
  18. True Ventures
  19. Floodgate Fund
  20. Parceiros do Catalyst Geral
  21. CRV
  22. Spark Capital
  23. Battery Ventures
  24. Redpoint Ventures