China está invadindo o mercado brasileiro de startups o e desbancando os EUA

Avatar

Por Elena Costa

18 de dezembro de 2017 às 17:10 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

A China está investindo pesado no mercado latino americano, sobretudo o brasileiro. Os motivos para esta são ação são vários, mas o principal é a incerta relação com os Estados Unidos após a eleição de Trump. Em outras palavras, antes as nações da América Latina procuravam os Estados Unidos para trocas comerciais e oportunidades financeiras, mas com o Trump eles recorrem a China.

A China ao contrário dos EUA não tem medo do passado da América Latina. A prova disso é que após as eleições de 2016 os chineses solicitaram o aumento dos acordos de trocas comerciais com a região em US$ 500 bilhões e de investimento estrangeiro em US$ 250 bilhões. E para demonstrar a seriedade do negócio, os principais bancos chineses agora proporcionam mais financiamento para o desenvolvimento das nações latino-americanas que o World Bank, o IDB e CAF juntos.

Outros investimentos pesados da China na região é o financiamento multilateral de plataformas. Foram US$ 20 bilhões do China-LAC Industrial Cooperation Investment Fund e mais US$ 10 bilhões no China-Latin America Infrastructure Fund. E por fim US$ 5 bilhões na China-Latin American Cooperation Fund.

Apesar de ter dobrado as trocas da região com os Estados Unidos desde 2000, o dos chineses se multiplicaram em 22 vezes se tornando o top parceiro para as grandes economias da Américas Latina- Brasil, Chile e Peru. Algo que pode ser visto o movimento da gigante Alibaba e o investimento em startups da região.

No Brasil a empresa de e-commerce acertou um acordo com os Correios, na Argentina também fez acordo para importar vinhos e comidas e no México aceitou compartilhar as melhores práticas de logística e pagamentos com as empresas mexicanas. Todas as ações da gigante visam desenvolver o e-commerce, que na região ainda se encontra subdesenvolvida comparada com outras partes do globo, e também fornecer produtos melhores para a classe média chinesa.

Já em questão de investimentos em startups, tem-se o investimento realizado por Didi Chuxing, a maior empresa de compartilhamento de viagens da China, no valor de US$ 100 milhões no aplicativo 99 para que ele se expanda na América Latina.

Segundo Peter Fernandez, CEO da companhia, “O financiamento da Didi, a tecnologia de ponta e o conhecimento operacional desempenharão um papel de apoio importante à medida que 99 expandir ativamente nossa rede e serviços no Brasil e reestrutura o cenário competitivo na América Latina”.

Os chineses também investiram na PSafe e Bluesmart.

O que vimos até aqui foi só a ponta do iceberg. Os chineses estão se transformando em uma das nações mais inovadoras do planeta. Para conhecê-la a fundo, estamos promovendo a Missão China, onde levaremos brasileiros para conhecer todo o poder da inovação deste país. Conheça aqui.

(Via Venture Beat)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em patrocinar eventos da StartSe, envie um e-mail para patrocinio@startse.com.br

[php snippet=5]