Adolescente recebe investimento para startup, mas não avisa que tem 17 anos

Da Redação

Por Da Redação

30 de outubro de 2015 às 11:35 - Atualizado há 5 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

O mercado de investimento em startups está tão aquecido que um adolescente de 17 anos conseguiu um “grande investimento” para sua startup. Mas um detalhe: ele não contou para os investidores que ainda está no colégio e agora se pergunta se deveria largar a escola de vez ou não. 

A pergunta, feita no Quora de maneira anônima, é do próprio adolescente. Se é verdade ou não, o investidor-anjo Tim Berry respondeu seriamente a resposta, contrariando uma ideia comum de que os donos de startups precisam abandonar o estudo para focar em suas empresas: “se você não terminar o colégio, você vai se arrepender para o resto da sua vida”, afirma o investidor, que fundou a Palo Alto Software.  

Berry afirma que ele não apenas aceita que as pessoas que trabalham em empresas que ele investiu estudem, ele os encoraja. “Eu não gosto da ideia de que educação formal é sobre carreira, o que leva para a lógica triste de ‘se eu sou um empreendedor, não preciso de educação’. É uma pena que as pessoas coloquem educação contra startups como uma coisa ou outra”, afirma o investidor. 

O adolescente precisa se mudar de cidade, ir para um país estrangeiro (onde seus sócios estão), mas Berry quer que ele termine o colégio mesmo assim – quem sabe uma faculdade. O investidor aponta para um estudo recente da Kauffman Foundation mostrou que a maioria dos empreendedores de startups de tecnologia tinham diplomas de faculdades. 

Há exceções, porém. Bill Gates e Mark Zuckerberg largaram Harvard para poder fundar a Microsoft e o Facebook, enquanto Steve Jobs largou sua faculdade para fundar a Apple (e fazia cursos que foram úteis no tempo livre). “Não termine apenas o colégio, termine a faculdade também. Você merece isso. E é um privilégio, não um fardo”, terminou.