Acordo fechado: japonês Softbank agora é dono de 15% do Uber

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

19 de janeiro de 2018 às 11:55 - Atualizado há 4 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A aquisição de parte do Uber pelo Softbank é algo que já estava sendo discutido publicamente desde o ano passado. Mas agora, o acordo finalmente foi oficializado, e o Softbank passa a ser dono de 15% das ações da empresa. A compra, como o esperado, foi feita com 30% de desconto frente o último valuation da empresa, ou seja, valuation de US$ 48 bilhões – ao invés dos US$ 68 bilhões de outras rodadas de investimento. Como parte do acordo, a Softbank investiu US$ 1,25 bilhão diretamente na empresa.

O investimento deverá ajudar a empresa a assegurar seu lugar no mercado, crescendo ainda mais. Em troca, o Softbank passa a ter uma grande influência na empresa – se tornando o maior acionista de todos. Se você deseja saber como investir em startups vencedoras, participe do Angel Class, um curso de formação em investimento-anjo.

[php snippet=5]

Outros investidores, inclusive o Dragoneer Investment Group, compraram outros 5% da empresa. Agora, os novos sócios trarão uma mudança de governança na empresa. O conselho de decisões da empresa agora conta com 17 cadeiras, o que diminui a influência que Travis Kalanick, co-fundador e ex-CEO da empresa afastado ano passado, possuía antigamento.

“Esse é um grande resultado para os nossos acionistas, funcionários e clientes, fortalecendo a governança do Uber enquanto dobramos nossos investimentos em tecnologia e continuamos a trazer nossos serviços para mais pessoas, em mais lugares do mundo”, disse um porta-voz do Uber.

Para a aquisição do Softbank ser possível, outros acionistas tiveram que vender parte de suas ações. Foi o que aconteceu com o CEO Travis Kalanick, que vendeu US$ 1,4 bilhões de suas ações para o Softbank. O fundo Benchmark, uma das maiores acionistas da empresa, também vendeu 15% de suas ações, lucrando US$ 900 milhões à empresa.

“O Uber tem um futuro brilhante sob a nova liderança. A empresa está sob o network do Softbank, que possui empresas como a Sprint à WeWork. Eu estou ansioso para o Softbank ajudar o Uber a tornar-se um sucesso global ainda maior”, disse o Softbank em um comunicado.

(Via Business Insider)