Além das maquininhas e QR Code: Spin Pay estreia serviço de pagamento instantâneo

Da Redação

Por Da Redação

16 de setembro de 2019 às 12:41 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nos últimos meses o noticiário financeiro falou muito sobre a guerra das maquininhas. A disputa entre as adquirentes acontece no mesmo momento em que o mundo corre para desenvolver novos meios de pagamento.

Na China, por exemplo, o QR Code já dominou o mercado. Na Europa, os cartões são equipados com a tecnologia contactless e não exigem senha. É de olho neste setor em plena ebulição que a Spin Pay estreia em outubro como o primeiro gateway de pagamentos instantâneos do Brasil.

Os consumidores e varejistas começarão a experimentar essa nova forma de fazer o dinheiro girar, podendo escolher entre crédito, débito, boleto bancário ou Spin Pay para pagar suas compras na maior parte do e-commerce nacional.

“As transações ocorrerão em tempo real, 24 horas por dia e sete dias por semana. Ou seja, se você fizer uma compra no domingo às duas horas e escolher a Spin, o varejista vai receber o dinheiro no mesmo momento do pagamento”, disse Alan Chusid, CEO da Spin.

A ideia de estruturar a empresa surgiu quando Chusid era diretor da Neon, fintech que ele co-fundou. Lá, ele notou a necessidade do desenvolvimento de uma solução de pagamento instantâneos. Ele deixou a operação do banco digital em 2018 para tocar a Spin.

Entre os investidores que formaram o primeiro round de aportes na Spin estão nomes de peso do mercado financeiro como Cassio Casseb, ex-presidente do Banco do Brasil, Alexandre de Barros, ex-vice-presidente de tecnologia da informação do Itaú, e José Monforte, um dos consultores financeiros mais respeitados do mercado. Está também na carteira de investidores do fundo de capital de risco Canary.

Utilizando criptografia e blockchain, a Spin consegue transferir de forma imediata o dinheiro do cliente para a conta do varejista. O consumidor pode optar pela conta do banco, corretora, digital wallet ou qualquer outro lugar que esteja plugado à Spin como local do débito. A exigência de digitar senha é substituída por uma selfie ou então pela checagem da digital. Além disso, o comprador também poderá ter algum percentual de desconto por ter optado pela Spin, dependendo do arranjo feito entre a empresa e a varejista.

“Chegamos para oferecer uma nova experiência ao consumidor e também aos varejistas. Nossa solução elimina as dezenas de intermediários que um pagamento com cartão exige. Isso faz nosso custo ser muito mais baixo e a velocidade da operação ser muito mais rápida”, explicou Chusid.

Com a operação bem enxuta, a Spin consegue cobrar muito menos do varejista na comparação às taxas praticadas nas funções de crédito e débito. Outro diferencial, é o recebimento do recurso imediatamente. “Assim que o cliente dá o ‘ok’, o dinheiro é transacionado para a conta do parceiro. É imediato”, detalhou Chusid.

Innovation Pay: Participe da maior conferência em inovação em meios de pagamentos no Brasil