Sebrae/PR promove duas edições do Startups Pirates em Curitiba

Programa tem como objetivo a aceleração de empreendedores. Atividades têm duração de uma semana e vagas limitadas

Avatar

Por Júnior Borneli

22 de abril de 2015 às 14:33 - Atualizado há 5 anos

Um ‘mergulho’ profundo no mundo do empreendedorismo, com atividades envolvendo técnicas de comportamento do empreendedor, construção de times, finanças, marketing e estruturação do negócio. Sucesso no exterior e no Brasil, o programa Startup Pirates – metodologia nascida em Portugal, cujo objetivo é a ‘aceleração’ de empreendedores – chega à terceira e quarta edições em Curitiba, em maio e julho, respectivamente. No Paraná, o responsável pela organização e execução do programa, que ocorre em vários países do mundo, é o Sebrae/PR.

Precisa de ajuda para a sua startup? Cadastre-se no StartSe e fale com investidores, mentores e aceleradoras. Acesse www.startse.com.br. É gratuito.

As atividades têm duração de uma semana (de sábado a sábado, das 9 às 21 horas), ocorrerão no Sebrae/PR em Curitiba, e são destinadas a qualquer pessoa que tenha o desejo de ter uma startup ou que procure receber capacitação para tirar uma boa ideia do papel. “O propósito de uma startup é resolver um problema com inovação e escalabilidade. Então, eles têm workshops, talk com empresários, mentorias, que são momentos em que recebem mentores do ecossistema de design, finanças, estratégias, para falar sobre as ideias, modelos de negócios e assim sair do programa já com uma base bem estruturada”, detalha a consultora e coordenadora regional de Startups do Sebrae/PR, Marielle Rieping.

A metodologia, explica Marielle, engloba diversas técnicas, fortalece a parte de comportamento do empreendedor, trabalha a análise de tendências com foco em mercado, além de discutir metodologia para a formatação de negócios, técnicas de vendas e marketing.

Com o objetivo de incentivar o desenvolvimento de negócios do zero, o programa promove uma competição entre grupos, que passam por uma banca no último dia. “Há uma premiação no programa. No último dia, os jurados avaliam se a ideia é viável, bem como a consistência da ideia e proposta de valor da startup. Estas ideias surgem em um brainstorm, depois de um workshop, e as mais votadas são trabalhadas em equipes, para se tornarem startups”, completa Marielle.

Edição anterior originou oito startups

A última edição curitibana do Startup Pirates, realizada em novembro, resultou em 66 ideias que deram origem a oito startups.  A vencedora foi a Liga FC, um aplicativo que localiza usuários disponíveis para jogar futebol e encontra canchas disponíveis, com valores para locação. Responsável pelo grupo, a empresária Carolina Maia, 37 anos, conta que a dificuldade de montar times de peladeiros ficou evidente depois de um estudo de comportamento feito pela empresa de pesquisa dela. O aplicativo, que tem parceria com um goleiro de aluguel, ainda está em fase de orçamento para desenvolvimento. “As mentorias fora bem marcantes, os momentos de conversa com quem já teve experiência. Deu para ver que, colocando a mão na massa, as coisas acontecem.”

Outra startup criada a partir do programa foi o Bookshare (www.bookshare.com.br), uma plataforma online de compartilhamento de livros, com mais de 700 usuários e 400 obras cadastradas. “Me inscrevi para colocar esse projeto em prática. Foi ótima a experiência de trabalhar com quem já é da área. O objetivo é despertar o interesse de leitura nas pessoas, por meio do consumo colaborativo”, comemora o empresário do ramo de call center Ismael Pereira, 33 anos, responsável pelo projeto.

Proprietário de uma farmácia virtual de medicamentos para animais (www.farmaciadebicho.com.br), o veterinário Fabrício Jasinski, 28 anos, agora trabalha no desenvolvimento da plataforma Doação de Bicho, com o objetivo de integrar Organizações Não-Governamentais (ONG) que acolhem pets e procuram famílias para adotá-los. “O programa foi importante para sair da tendência de pensar da mesma forma do concorrente. Tanto que estou tirando dinheiro do bolso para essa ação, que agrega valor social ao negócio, e ajuda o cliente de forma gratuita”, planeja.

Para participar, é preciso se inscrever no site curitiba.startuppirates.org. As vagas são limitadas de 20 a 30 pessoas, e a seleção é feita com base no perfil do candidato. O custo do programa é R$ 400, com almoço incluso em todos os dias. Não há limitação de idade ou formação.

Sobre o Sebrae/PR

Para quem já é ou quer ser empresário, o Sebrae/PR – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná é a opção mais fácil e econômica de obter informações e conhecimento. Criado na década de 1970, o Sebrae apoia as decisões dos empresários, dos potenciais empresários e dos potenciais empreendedores, no campo e na cidade, porque é a instituição que entende de pequenos negócios e possui a maior rede de atendimento do País. Criado na década de 1970, o Sebrae apoia as decisões dos empresários, dos potenciais empresários e dos potenciais empreendedores, no campo e na cidade, porque é a instituição que entende de pequenos negócios e possui a maior rede de atendimento do País. No Paraná, conta com seis regionais e 11 escritórios. A instituição chega aos 399 municípios por meio de Pontos de Atendimento ao Empreendedor, Salas do Empreendedor e parceiros locais, como associações, sindicatos, cooperativas, órgãos públicos e privados. O Sebrae/PR oferece palestras, orientações, capacitações, treinamentos, projetos, programas e soluções, com foco em empreendedorismo e gestão; empresas de alto potencial e potencialização; educação empreendedora; startups; liderança; e ambiente de negócios.