Qual é a principal habilidade que um bom líder precisa ter?

Avatar

Por Isabella Câmara

21 de Maio de 2018 às 16:11 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Em um mundo perfeito, os líderes passariam o dia inteiro incentivando, treinando, delegando e se comunicando abertamente com aqueles que trabalham para eles. Mas no mundo real, sempre haverá funcionários que não têm habilidade ou vontade de fazer bem o seu trabalho. Eles se atrasam, se esquivam, reclamam e cometem erros frequentes. Esses comportamentos negativos acabam criando problemas para a equipe inteira e o líder precisa, de vez em quando, ter conversas difíceis com seus liderados.

A capacidade de lidar com essas interações desconfortáveis de forma rápida e eficaz é um das principais características de um bom líder. Com as habilidades certas, um líder pode gerenciar essas interações com sensibilidade – e uma das mais poderosas competências é o tato.

Tato é a capacidade de comunicar informações dolorosas com sensibilidade e é essencial que um líder domine essa habilidade para lidar com uma situação difícil da melhor maneira possível. Caso o líder esteja despreparado, e deixe escapar a primeira coisa que vier à sua mente, é possível que a situação fique ainda pior. Ou seja, dominar o tato pode fazer a diferença entre um resultado efetivo e um desastre.

De acordo com uma pesquisa do Business Insider, feita com mais de 15 mil líderes e profissionais em todo o mundo, existem cerca de 100 habilidades que um líder precisa dominar para se tornar melhor. Aprender a ter tato, segundo o estudo, ficou no topo – cerca de 41,8% dos profissionais valorizam essa habilidade como uma das mais importantes e necessárias para administrar situações difíceis no ambiente de trabalho. Além disso, 57,7% deles valorizam o desempenho com eficiência e 47,7% dão valor para quem sabe lidar com mau comportamento no trabalho.

Separamos algumas dicas para ajudar os líderes a se preparem e lidarem com situações comuns e desconfortáveis no local de trabalho:

Prepare-se adequadamente

Falar antecipadamente sobre a situação com algum colega, como com um consultor de RH, é uma boa saída para treinar um diálogo difícil. Nessa conversa, é importante considerar o que a pessoa do outro lado sente ou pensa, bem como quais são os pontos de sensibilidade daquele funcionário.

Durante essa conversa prévia, é importante experimentar as palavras que poderiam ser usadas e explorar o impacto emocional que elas podem causar no receptor da mensagem. A partir disso, é possível refinar a mensagem de acordo com as conclusões tiradas nessa espécie de treinamento.

Use a dramatização

A interpretação de papéis é uma maneira útil de líderes se prepararem para conversas difíceis. Com um colega, é interessante que o líder configure a cena que ele deseja representar – assumindo papéis diversos, atuando, tentando diferentes abordagens, situações e intensidades. Essa técnica pode ajudar um líder a criar autoconfiança para lidar com situações reais e se preparar para possíveis reações da equipe.

Escolha hora e local apropriados

Uma abordagem diplomática para qualquer conversa desagradável envolve dizer a coisa certa, no momento certo. É importante que o líder preste atenção para encontrar um horário em que a pessoa envolvida esteja disponível para conversar – se o funcionário está no meio de uma situação altamente emocional, talvez esse não seja o melhor momento para ter uma discussão desse tipo.

Escolha as palavras com cuidado

É importante que o líder esteja ciente do impacto emocional que suas palavras causam nas outras pessoas, e no modo como recebem sua mensagem. Se a intenção é fazer uma crítica construtiva, é essencial evitar frases que comecem com a palavra “você”. Ou seja, ao invés de dizer “você não estava claro”, utilize “eu não entendi o que você quis dizer”.

Cuide de sua linguagem corporal

Quando um líder tem tato, sua linguagem corporal corresponde à sua mensagem e ele aparente estar aberto quando está se comunicando – mesmo a que notícia seja ruim. Fazer contato visual, não cruzar os braços ou as pernas, não apontar o dedo, ter uma boa postura, linguagem corporal aberta e um tom de voz cortês são atitudes que ajudam na hora de comunicar algo difícil.

Identifica a defensividade pela linguagem corporal

Ao comunicar uma mensagem difícil, o líder precisa identificar se a linguagem corporal da outra pessoa comunica se ela está ou não respondendo a mensagem passada por ele. Braços próximos ao corpo, expressões faciais mínimas, afastamento e olhos abatidos são sinais que podem ser captados pelo líder para que o mesmo mude de postura e faça com que a outra pessoa se sinta mais à vontade e receptiva.

Gerencie suas emoções

É difícil se comunicar com tato quando a pessoa se sente irritada ou chateada. Se o líder estiver com raiva ou aborrecido, é importante que ele tire um tempo para se acalmar antes de responder. Caso o contrário, a mensagem pode ser passada de forma errada. Como líder, é essencial dizer a verdade, mesmo quando ela é desagradável. Comunicar-se com tato ajuda a preservar relacionamentos, construir credibilidade e demonstrar consideração – qualidades que todos os grandes líderes precisam ter.



(Via: Business Insider)