Por que empreendedores devem assistir aos filmes do Oscar

Cada concorrente ao Oscar de melhor filme tem pelo menos uma lição importante

Avatar

Por Paula Zogbi

26 de fevereiro de 2016 às 14:31 - Atualizado há 4 anos

A maior premiação do cinema de 2016 ocorre na noite deste domingo, 28 de fevereiro, com transmissão mundial.

Todos os anos, oito filmes concorrem ao prêmio principal da noite: de melhor filme do ano. E cada um destes filmes transmite tanto situações que sensibilizam como lições de vida para a audiência.

Desta vez, empresários e especialistas identificaram o que cada um dos títulos concorrentes podem ensinar para ajudar na carreira. Confira:

Brooklyn

Para o empreendedor José Martinho Reis, fundador e presidente da Reis Office, a lição de deixar o lugar de origem e construir uma carreira na cidade é importantíssima no filme estrelado por Saoirse Ronan. Nascido em Senhora de Oliveira (MG), Reis mudou-se para São Paulo com 19 anos e acredita que “buscar as melhores oportunidades, independentemente de onde elas estejam, é um dos segredos de quem alcança o sucesso nos negócios”.

Perdido em Marte

“Assim como o personagem de Matt Damon precisou usar toda a sua criatividade e talento para sobreviver em um lugar inóspito, o Social Comics se destacou no mercado com uma ideia que, de tão simples e funcional, leva a questionar ‘porque não pensei nisso antes?’”, afirma o CEO da “Netflix dos quadrinhos” Social Comics, que recebeu aporte de R$ 2 milhões do Grupo Omelete 3 meses após o lançamento.

O quarto de Jack

O filme mais emocional do Oscar possui um momento decisivo marcante: Jack, com 5 anos de idade, precisa sair sozinho para o mundo para conseguir libertar a si mesmo e à sua mãe. Miguel Andorffy, co-fundador do Me Salva!, afirma que sentiu-se de uma maneira parecida quando precisou conhecer o Vale do Silício para respirar os ares do empreendedorismo, antes de lançar oficialmente a plataforma educacional.

Spotlight – Segredos Revelados

O filme sobre jornalismo investigativo que desmascara casos de estupro na Igreja Católica aponta a importância de estudar informações e cenários atentamente. Isso também se aplica ao empreendedor que busca criar uma marca, explica Alessandro Visconde, CEO da iFruit, especialista no planejamento e comercialização de mídias nas redes sociais de influenciadores.

Ponte dos Espiões

O filme demonstra a importância do uso de habilidades de negociação através da história de um advogado que precisa defender um espião soviético durante a Guerra Fria. “Saber negociar e identificar o melhor momento para constituir parcerias é a base para o sucesso de qualquer empresa atualmente. Sem isso, o empreendedor terá dificuldades para criar um negócio sustentável e bem sucedido”, confirma Walter Sabini Júnior, sócio-fundador do grupo de investimento Hi Partners Capital&Work.

A Grande Aposta

Além das lições de mercado financeiro, o filme serve de inspiração para empreendedores que querem investir em momentos de crise. Em 2000, por exemplo, quando a bolha da Internet estourou, o empreendedor Albert Deweik, então no controle do buscador Jarbas, encontrou em sua própria tecnologia, que desenvolvia respostas automáticas para os usuários, uma oportunidade para desenvolver uma solução de atendimento ao cliente. Foi assim que criou a NeoAssist.

O Regresso

Persistência. É essa a principal lição que o filme estrelado por Leonardo DiCaprio ensina a empreendedores. Segundo o diretor de criação da 01 Digital, a empresa desenvolvedora de aplicativos também sofreu um “ataque” com a bolha da Internet e ressurgiu para conquistar um novo mercado. Isso ocorre em diversos mercados, e é importante não desistir.

Mad Max – Estrada da Fúria

No primeiro Mad Max, o herói Max Rockatansky tem a tendência de sempre trabalhar sozinho, sem esperar a ajuda de ninguém. Entretanto, o trabalho em conjunto com a Imperatriz Furiosa neste filme faz com que ambos derrotem o vilão Immortan Joe. “Ter sócios é uma das premissas para empresas que desejam crescer justamente por unir diferentes perfis e habilidades em prol da mesma meta”, explica Luan Gabellini, sócio-fundador da Betalabs ao lado de Felipe Cataldi.