Os 3 tipos de pessoas que você deve demitir da sua empresa

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

1 de dezembro de 2017 às 16:54 - Atualizado há 4 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Nenhuma empresa de sucesso é mantida por uma só pessoa. A ideia inicial pode vir, sim, de uma só mente – mas para torná-la possível e operante, muitas pessoas são envolvidas. Por isso, ter um time com bons funcionários é fundamental para a saúde de qualquer negócio.

A relação entre empresas e funcionários deve ser sempre saudável. Para alcançar os melhores resultados, todos devem estar satisfeitos com seus papéis, entregando os melhores resultados. Mas, segundo Jayson Demers, CEO da AudienceBloom, há três tipos de pessoas que empresas devem evitar (e demitir, se necessário for):

O rei/rainha do drama

Pessoas dramáticas podem tornar qualquer situação maior do que realmente é. Muitas vezes, acabam se tornando inclusive o pavio de alguns acontecimentos bombásticos. Sem perceber, você pode entrar em conflito com seus funcionários, sem perceber quem foi que começou. Na maioria das vezes, a culpa é do rei do drama.

A produtividade não é a única coisa que pode ser afetada por essas pessoas. Conversas negativas podem influenciar na atitude de outros funcionários, tornando-se contagiosas e iniciando uma onda que pode afetar toda a empresa.

A vítima

Para Demers, um dos maiores desafios de lidar com pessoas é saber quais gostam de bancar a vítima. Essas pessoas geralmente não tomam responsabilidade por suas próprias ações, culpando outras pessoas. Elas sempre terão uma desculpa, e suas reclamações são sempre percebidas por seus colegas, que também podem desenvolver a mesma mentalidade.

O não-conformista

Demers chama os funcionários que querem quebrar as regras (seja qual forem) de “não-conformista”. Para ele, há dois tipos de “não-conformistas” os que querem mudar o mundo e os que querem roubar a cena.

As pessoas que burlam as regras pois pensam diferente e querem fazer diferença no mundo são indicadas, pois podem fazer a empresa crescer. Já as que querem apenas chamar atenção podem ter um comportamento de líder, quando não o são. Esse comportamento tóxico pode chatear seus melhores funcionários.

Agora que você já sabe quais funcionários deve evitar na sua empresa, você sabe qual é o passo-a-passo para criar uma startup de sucesso? Veja o nosso e-book gratuito para entender os fatores mais importantes de crescimento de uma empresa.

(Via Business Insider)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha em patrocinar os eventos da Startse, entre em contato no patrocinio@startse.com.

[php snippet=5]