O mundo é cada vez mais rápido: você vai demorar 2 anos para ficar obsoleto

Da Redação

Por Da Redação

16 de março de 2018 às 16:15 - Atualizado há 3 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Você já pensou onde você vai estar daqui 2 anos? Possivelmente com uma rotina diferente do que você tem hoje. Existe a possibilidade de você se tornar obsoleto em pouquíssimo tempo se você não continuar inovando em nível pessoal – não procurar meios para se tornar cada vez mais extraordinário.

Isso já acontece muito no mundo corporativo: inovações estão cada vez mais rápidas e alguns produtos e serviços estão cada vez mais irrelevantes, enquanto outras vão crescendo. “Você cria um produto e em 2 ou 3 anos ele já está obsoleto”, afirma Maurício Benvenutti na Aula Magna do curso Seja Extraordinário.

Essas mudanças sempre aconteceram, mas estão ficando cada vez mais rápidas. “Esses ciclos de inovação eram mais longos, mais espaçados. Demoravam 10 a 15 anos”, continuam. E isso faz com que as coisas aconteçam de maneira sempre mais rápida. “Cada vez mais vemos negócios de 10 anos desafiarem negócios seculares”

Essas mudanças na sociedade exigem que você, governos, organizações tenham um reposicionamento perante o consumidor, se reinventar o tempo todo. E isso inclui fazer uma pergunta o tempo todo, que Maurício ensina: “o que eu preciso fazer para me manter relevante?”.

E isso inclui também as próximas gerações, que vão ter vidas muito distantes das que vivemos nas últimas. “65% das crianças vão trabalhar em atividades que ainda não existem. Vamos viver em um mundo completamente diferente”, completa Maurício. Hora de mudar.