Marc Andreessen diz qual é o maior erro que uma startup pode cometer

Avatar

Por Isabella Câmara

19 de julho de 2018 às 17:15 - Atualizado há 2 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

O lendário investidor do Vale do Silício, Marc Andreessen, fez seu nome como cocriador do primeiro navegador popular da web, o Mosaic, cofundador da Netscape e como um dos primeiros investidores do Facebook, Twitter e outras grandes empresas de tecnologia. Em entrevista ao empresário e também investidor Elad Gil, Andreessen compartilhou algumas dicas sobre como os líderes de startups podem transformar o sucesso inicial em uma relevância duradoura.

Um dos maiores erros que as startups cometem é contratar um líder de Recursos Humanos muito tarde. Segundo o investidor, a maioria das empresas de tecnologia se concentra na construção do produto e em sua distribuição antes de pensar em coisas mais operacionais. “Mas se um empreendedor não der atenção ao Recursos Humanos quando tem apenas 50 pessoas contratadas, algo vai dar errado no caminho dele até chegar em 150 funcionários”, disse Andreessen a Gil durante a entrevista.

De acordo com Andreessen, quanto mais tempo uma empresa atrasa em atividades operacionais, como finanças, RH, jurídico, marketing e relações públicas, maior é o risco de se expor a falhas catastróficas. “O número de empresas no Vale que colocaram o RH de lado e agora estão lidando com algum problema – seja ele público ou um que ainda está em formação – é muito alto. Mas isso é totalmente desnecessário. Se eles tivessem levado o RH a sério no começo da startup, eles provavelmente teriam sido capazes de combater muitos dos seus problemas atuais. Mas por algum motivo, eles decidiram que isso não era importante”, diz.

Apesar de Andreessen não ter mencionado nenhuma empresa em particular, há muitos casos na vida real em que esse erro pode ser aplicado. A Uber, concorrente direta da Lyft, teve um colapso no ano passado, que culminou com a renúncia do cofundador, Travis Kalanick, ao cargo do CEO. A polêmica resultou de uma série de escândalos relacionados ao RH da empresa, iniciada por um post no blog da ex-engenheira da Uber, Susan Fowler.

Quando um empreendedor deve contratar um líder de RH?

Muitos fundadores, especialmente os iniciantes, lutam para descobrir quando devem realmente contratar um líder de RH. Para Andreessen, o ideal é investir em Recursos Humanos quando a empresa tem entre 50 e 150 funcionários. Por quê? De acordo com um pesquisador chamado Robin Dunbar, os seres humanos podem ter apenas cerca de 150 relacionamentos significativos em suas cabeças e que, simplesmente, eles não conseguem conhecer mais pessoas do que isso.

É nesse premissa que Andressen se baseia para fundamentar a tese de que empreendedores precisam contratar um RH após bater a marca de 50 funcionários. “Quando a empresa tinha cinco, dez ou vinte pessoas, era uma grande família feliz e todo mundo se conhecia – pelo menos o CEO tinha um relacionamento direto com todos. Mas quando você chega atinge 50 funcionários, há uma impessoalidade enorme nas relações profissionais e fica impossível uma pessoa conhecer todo mundo”, diz. De acordo com Andreessen, com tanta impessoalidade, muitas pessoas tropeçam na linha do comportamento profissional adequado em um local de trabalho e assim surgem as catástrofes de RH.

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store


(Via: Business Insider)