“Multicanal não é uma tendência, é uma necessidade”, defende CEO do Moip

Avatar

Por Júnior Borneli

25 de agosto de 2015 às 10:33 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nos últimos anos, o conceito de multicanal ganhou cada vez mais força no mercado. Com o cenário econômico atual, o tão debatido “omnichannel” passou a integrar as estratégias das empresas, que agora tentam impactar o consumidor em todos os ambientes para não perder oportunidades.

Negócios dos mais variados ramos passam por um processo de transformação: novos modelos criados e tradicionais transformados. Um bom exemplo são os aplicativos para contratar serviços como táxis, faxineira, delivery de comida, entre outros.

Para o CEO do Moip, Igor Senra, o que os empreendedores e companhias precisam entender é que multicanal não é um “a mais”, mas sim algo essencial em qualquer negócio nos dias de hoje. “Ser multicanal não é uma tendência, é uma necessidade. O consumidor de hoje não está só na loja física ou na virtual. Ele entra no e-commerce para pesquisar preços, vai até a loja, experimenta, procura opiniões em fóruns e redes sociais para finalmente, fazer sua escolha de compra no canal que lhe for mais conveniente. Por isso é importante estar pronto para atender o cliente em todas as plataformas, seja off ou online”, defende.

Recentemente, o Moip lançou a V2, nova versão de sua API que permite que os desenvolvedores construam soluções de pagamento para onde os consumidores estiverem. A Singu, uma das startups mais inovadoras do mercado, construiu o seu negócio em cima das novas APIs do Moip. O serviço utiliza o mesmo modelo consagrado pelos apps de táxi para colocar consumidoras em contato com profissionais de beleza.