Líder da Amazon, Jeff Bezos, é o que mais inspira confiança nos clientes

Em uma pesquisa da Fortune, o fundador da Amazon recebeu 83% dos votos e ficou na frente de Tim Cook, da Apple, e Satya Nadella, da Microsoft

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

13 de novembro de 2018 às 14:09 - Atualizado há 1 ano

Startup ou empresa estabelecida, a confiança no trabalho realizado é no mínimo mandatório para o sucesso de uma empresa. Frequentemente, isso está associado a imagem de seus próprios líderes. No setor de tecnologia, especialmente, um deles está em destaque ultimamente: Jeff Bezos.

Em 1994, o empreendedor leu que a internet havia crescido 2.300% em um ano – o número espantoso foi o necessário para Bezos buscar o produto que faria mais sentido vender online. Sua escolha foram os livros – hoje, esse é apenas um dos milhares de produtos disponíveis no catálogo da varejista, que vai de eletrônicos, roupas, comida a utensílios domésticos.

O plano de negócios da Amazon foi idealizado em uma viagem para Seattle, após o empreendedor se demitir de um emprego em Wall Street, mas a companhia foi lançada apenas em 1997. De lá para cá, a empresa atingiu o valor de mercado de US$ 1 trilhão de dólares, logo após a Apple.

No entanto, apesar da Apple ter conquistado esse lugar primeiro, Jeff Bezos é o melhor colocado no ranking de confiança com o público. Em uma pesquisa da The Harris Poll feita para a Fortune, o fundador da Amazon lidera o ranking dos líderes com as melhores habilidades quando o assunto é crescimento e inovação.

Jeff Bezos conquistou 83% dos votos – uma diferença de seis pontos percentuais para o segundo colocado, Tim Cook, CEO da Apple. Entre o segundo e terceiro lugar, essa diferença diminui – Tim Cook foi apenas um ponto mais bem avaliado do que Satya Nadella, CEO da Microsoft.

Nadella empata, inclusive, com Sundar Pichai – o CEO do Google. Por último, com 71% dos votos, está Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook. A diferença percentual é de 12% entre o primeiro e o quinto colocado, posição que pode ter sido conquistada pelos acontecimentos deste ano com o Facebook, no escândalo de vazamento de dados com a Cambridge Analytica e a grande presença de fakes na rede social.

Fonte: Fortune

Mas o Facebook não é a única empresa que sofreu no ranking: segundo a Fortune, a Apple costumava liderar o pódio. A decaída, pode ser um reflexo da transição da liderança de Steve Jobs a Tim Cook e sugere que os consumidores acreditam que a Apple não é tão inovadora quanto antes. “A Amazon é uma grande coisa agora”, disse John Gerzema, CEO da Harris Poll. “É como a Apple era 10 anos atrás”.

É impossível negar que, nos últimos anos, a Amazon – e, consequentemente, Jeff Bezos – tem se arriscado mais do que a Apple. Hoje, a gigante do varejo está desenvolvendo formas inovadoras de se entregar pacotes – como dentro das casas ou carros dos próprios clientes quando não estão – até uma maneira de se manter mais próxima, como nas lojas online. Porém, até as lojas online possuem um grande nível de inovação: algumas delas são do tipo Amazon Go, que não possuem caixas de pagamento – as compras são contabilizadas a partir das câmeras com inteligência artificial do local e a cobrança é realizada na conta do usuário na Amazon.

Para Genzema, a Microsoft também não está nada mal no ranking – a empresa experimentou recordes no valor das ações após ser liderada por Satya Nadella, conquistando um crescimento mais rápido nos setores de computação em nuvem e softwares.

Sundar Pichai, líder do Google, ficou empatado com Satya Nadella, mas a pesquisa não reflete os acontecimentos recentes, em que a empresa têm experimentado casos de assédio sexual entre os funcionários. Pichai é descrito como uma personalidade mais discreta, frequentemente ofuscado por Larry Page, co-fundador da empresa e o CEO da Alphabet – holding a qual a empresa pertence.

Por fim, um dos motivos que também podem ter influenciado na grande confiança dos consumidores quanto a Amazon é que o líder da empresa é conhecido por tomar decisões “com o coração”, não esquecendo da parte analítica. Conheça toda a trajetória empreendedora de Jeff Bezos.