A história “REAL” da minha startup, incluindo o lado não tão belo!

É lindo contar boas notícias, mas é sempre importante ressaltar tudo o que passamos para chegar até aqui e mostrar que a vida nunca é tão fácil como o Facebook tende a mostrar

Avatar

Por Felipe Wasserman

12 de dezembro de 2017 às 12:42 - Atualizado há 2 anos

Em novembro PetiteBox fez 4 anos, é incrível tudo que já foi criado e construído neste tempo!

É lindo contar boas notícias, mas é sempre importante ressaltar tudo o que passamos para chegar até aqui e mostrar que a vida nunca é tão fácil como o Facebook tende a mostrar:

Primeiramente, decidi abrir uma empresa em 2013, no último ano sem recessão no Brasil.

Depois, o servidor da empresa que eu comprei queimou e o meu TI diz que esqueceu de fazer o backup, e consequentemente perdi todo o site e a base de clientes (e a solução que ele deu foi sumir e parar de atender).

Depois disso, briguei com a minha primeira sócia e precisei comprar a parte dela.

Em seguida, convenci uma grande amiga a fazer parte deste sonho, mesmo sabendo que ela não tinha a mesma segurança financeira que eu. Imaginei que íamos ganhar dinheiro rápido!

No 7º mês de existência da empresa, conseguimos bater o breakeven (sem ganhar um real), e a empresa de pagamento (Stone), que fazia as nossa cobranças, por um erro no sistema, duplica todas as cobranças de clientes (algumas até 11 vezes) e perco totalmente a credibilidade no mercado. Assim, a empresa começa a cair! 3 anos depois o processo ainda corre na justiça pois apesar de aceitarmos um acordo ele desistiram de pagar e preferiram ir pra a justiça que não é muito rápida no Brasil.

Após muito trabalho e esforço, recuperamos a imagem e voltamos a crescer. Porém, surge a crise! Dos 300 clientes que telefonamos, convidando para voltar a fazer parte da PetiteBox, mais da metade diz que ama o nosso produto, mas que não pode assinar neste momento, pois estão cortando despesas!

Com o desespero das finanças mas a certeza que as pessoas amavam o nosso projeto e o seu potencial, decidimos procurar investimento. Sem conhecer muito o assunto, pesquisamos bastante e fizemos muito networking. Quando a reserva financeira da empresa estava acabando, participamos de um evento do StartSe e conseguimos fechar com o líder João Kepler e levantamos o investimento para nos dar segurança e voltar a crescer!

Com isso, eu e minha sócia Ivy recebemos o nosso primeiro salário, após 18 meses trabalhando como “voluntários”. Lembrando que este salário é 1/3 do que eu ganhava antes de empreender. Conseguimos refazer nossos planos e em apenas 8 meses após o investimento, mais que dobramos de tamanho!

Depois de 2 anos crescendo muito no ultimo mês depois de uma conversa sem pretensão na fila de autógrafo do livro do filho do Kepler com o Marcelo Toledo ele marcou uma reunião no grupo em que ele trabalha e conseguimos convencer o Mauricio Sucasas do grupo Gouveia Souza a um novo aporte e hoje a empresa vale 3 vezes mais do que na primeira captação!

Com tudo isso, esta aniversario é muito importante para mim e para o meu time!

Por isso, quero agradecer especialmente a minha sócia e amiga de todos os dias Ivy Assis, que me aturou neste tempo e criou comigo esta empresa!

E também ao meu time, que estão comigo desde o primeiro dia, (algo cada vez mais raro nos dias de hoje), Marina Befi Lopes e Fernando Forsait, que são e se sentem donos da empresa!

E também um agradecimento especial aos irmãos Teixeira, o Rodrigo Teixeira que começou somente para emissão de NFs e hoje nos ajuda na parte operacional. Com certeza terá um futuro brilhante pela frente! E o Igor S. Teixeira, que agora com a ajuda do Mateus, são as mãos que montam todas as caixinhas.

Depois entraram a Bru Faria que já está há anos conosco e por último a Jessica da Silva que ajuda a Bru a atender com carinhos todas as assinantes da Petite e a Marcela Caló que hoje cuida de toda a parte de marketing com quem eu aprendo muito constantemente e já são parte da família! Além deles, um muito obrigado ao Cesar Rodrigues de TI, que fez com que um dos grandes problemas da empresa, que era o site e a tecnologia, hoje seja um portal do que tem de mais novo e moderno.

Finalmente, um agradecimento especial a todos os que nos ajudam a desenvolver este sonho, meus pais Alberto Behar Wasserman e Bete Wasserman, e a minha paixão Morgana Salles Wasserman que me deram toda a força e suporte em todas as vezes que pensei em desistir, e a família da Ivy, Rose e Vinicius, que nos ajudam em tudo o que se pode e até o que não se pode imaginar!

Não posso esquecer de todos os investidores que confiaram em nós e do nosso conselho!