Como fazer a sua startup alçar voo mais rapidamente com Marketing Digital

Veja dicas imperdíveis de Marketing Digital, para a sua empresa ir mais longe, em menos tempo e com investimento menor

Avatar

Por Erica Queiroz

11 de setembro de 2018 às 10:33 - Atualizado há 1 ano

Todos sabemos que o início de uma startup não é nada fácil, mas como trabalhar, da melhor forma, os muitas vezes escassos recursos de que se pode abrir mão?
Para que a sua empresa se saísse bem nessa empreitada, o ideal seria contratar um profissional especializado em growth hacking, aquele que usa de algumas técnicas e artifícios para fazer a sua empresa crescer sem gastar muito.
Mas, caso você ainda não consiga contratar esse profissional, seguem algumas dicas para tentar levar a sua startup a novos patamares num período de tempo razoavelmente curto:
– O bom e velho SEO
O SEO já existe há cerca de duas décadas, mas ainda tem grande participação no posicionamento orgânico das empresas sendo, por isso, imprescindível nas estratégias de marketing. Ele consiste em otimizar o seu site ou blog, por meio do uso de palavras-chave relevantes, que vão fazer a sua empresa se destacar na busca orgânica.
Assim, a sua startup poderá aparecer na primeira posição (ou ainda na primeira página) em mecanismos de busca, para algumas palavras-chave, sem que você precise gastar um tostão a mais por isso. Usar o “Keyword Planner” (Planejador de palavras-chave), do Google, ajuda bastante para descobrir palavras similares, que possuem relevância nas buscas. Outra dica é usar o Google Trends, para comparar palavras ou expressões e ver tendências de busca num determinado período.
– Marketing de Conteúdo
Há muitos anos, temos ouvido “Content is king” e essa é a mais pura verdade. O bom conteúdo, com as informações necessárias e relevantes, é o que vai fazer um comprador escolher a sua empresa e não o concorrente. Você deve avaliar as etapas do funil e ter um conteúdo diferente para as diferentes fases do mesmo. Se a pessoa já estiver no fundo do funil, por exemplo, envie um vídeo com mais informações sobre o produto ou serviço e com depoimentos de quem já o comprou. Isso fará toda a diferença. Dê sempre algo a mais, mostre que o seu conteúdo é de primeira! Gosto sempre de deixar o marketing de conteúdo ao lado do SEO, pois sem um conteúdo relevante, de nada adianta ter um bom SEO. Eles precisam caminhar sempre juntos.
  – O também bom e velho e-mail marketing
Apesar de sermos bombardeados por e-mails o dia inteiro, e muitos deles irem diretamente para caixa de spam, o e-mail marketing ainda é uma ferramenta de extrema relevância para a sua startup. Afinal, se o cliente ou potencial cliente forneceu o seu e-mail para a sua empresa, é porque ele se interessa pelo que você tem a oferecer. A dica aqui é ter bom senso (= não enviar diversos e-mails por semana para a mesma pessoa) e segmentar bem o público. Assim, você até pode mandar vários e-mails por semana, mas cada um para um público diferente.
Duas métricas aqui são muito importantes: a taxa de abertura e a taxa de cliques. De acordo com a MailChimp, a taxa média de abertura de e-mails de todos os setores analisados foi de 20,81% (março/2018) e a taxa de cliques em torno de 2,5%. Confesso que acho esses valores de abertura um pouco altos para a média, mas, se você obtiver algo próximo a esses valores, pode ter a certeza de que as suas campanhas estão sendo bem-sucedidas. Senão, busque novas estratégias para melhorar os seus e-mails. Fique também de olho nas pessoas que pedem para sair da sua lista (outra métrica importante).
– PPC (Pay-per-click)
O pay-per-click nada mais é do que você pagar quando alguém clica no seu anúncio. Ele é mais eficaz do que o pagamento por impressões, pois neste você paga quando qualquer pessoa vir o anúncio, mas isso não significa que ela vá clicar e cair na sua página-alvo. Você pode usar o PPC no Google Ads (antigo AdWords), Facebook Ads e vários outros. Basta escolher a melhor estratégia de anúncios para a sua empresa e comprar as famosas palavras-chave.
Nunca se esqueça de usar o Planejador de palavras-chave. Aqui, deixo duas dicas relevantes: segmentar bem o público, para não gastar dinheiro à toa, e fazer testes A/B, para ver qual anúncio funciona melhor. Aí, você pega o melhor e cria um terceiro, para fazer um teste A/B entre eles e, assim, pode ir sempre aperfeiçoando os seus anúncios.
– Social Media Marketing
Sabemos bem da importância das redes sociais nos dias de hoje. Praticamente todas as pessoas possuem perfil em pelo menos uma delas, seja no Facebook, para se socializar com os amigos, no Instagram, para divulgar as suas fotos e vídeos, ou ainda no LinkedIn, para alimentar a sua rede profissional.
As redes sociais viraram fontes de informação (para o bem ou para o mal, haja vista as fake news), e, por isso, são um lugar em que a sua startup deve estar presente, para divulgar informações sobre os seus produtos e serviços, gerar conhecimento e lembrança de marca, gerar leads e convertê-los em clientes.
Assim, é imprescindível que uma startup escolha as melhores redes (Facebook, Instagram, Pinterest, LinkedIn, Twitter…) para atuar, de acordo com a sua estratégia de marketing. O ideal seria estar em uma ou duas redes somente; mais do que isso já fica difícil de controlar e também de manter o foco no objetivo principal.