Garoto do ensino médio cria empresa com vendas de US$ 1 bilhão

Avatar

Por Júlia Miozzo

18 de março de 2015 às 14:02 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

SÃO PAULO – Fundada em 2000 por Ben Nash, com então 17 anos e ainda no ensino médio, a PCS Wireless está antecipando US$ 1 bilhão em vendas neste ano.

Na época da fundação, Ben trabalhava em uma distribuidora por atacado em Manhattan, vendendo celulares para os varejistas – e foi então que descobriu que a paixão pelas vendas falava mais alto do que a pelo colégio. “Eu tinha 17 anos e era o melhor vendedor da empresa”, disse ao Business Insider. “Eu queria entrar no ramo imobiliário e já tinha três ofertas de emprego”.

Ele conta que antes de aceitar uma das ofertas, estava conversando com amigos sobre o ramo de celulares e como celulares bons, mas não desejados, estavam à venda em armazéns – e todos tinham excesso de estoque. Alguns celulares não tinham vendas muito boas e foram largados pela fornecedora. Outros foram devolvidos praticamente novos mas sem os adesivos originais, e outros usados precisavam apenas de reparos no espelho – e foi nessa situação que a ideia da PCS Wireless surgiu.

Tem uma ideia genial como essa? Mostre seu potencial para investidores, mentores e aceleradoras. Cadastre sua startup no StartSe (www.startse.com.br) e fale com milhares de pessoas. É gratuito.

Nash e seus amigos, então, fundaram a empresa para comprar esses celulares, consertá-los e pensar em maneiras criativas de vendê-los. Um dos mercados eram empresas que queriam para comprar celulares baratos para os funcionários e outro era formado por varejistas interessados em vendê-los com certo desconto

O estouro do mercado de smartphones e novos aparelhos ajudou a empresa, já que as pessoas trocam de celular anualmente.

Em 2014, a PCS Wireless alcançou US$ 740 milhões em vendas, aproximadamente o dobro da receita de 2013, e vai ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão neste ano, diz Nash. “Se fizermos apenas US$ 1 bilhão em 2015 em ficarei realmente decepcionado”, disse.

Neste ano, a empresa vai comprar, processar e revender aproximadamente 10 milhões de celulares novos e usados e tablets – tudo isso em mais de 20 países, através de uma rede de 2.500 distribuidores. Atualmente, a empresa possui 2.000 funcionários no mundo todo.