Fundadora brasileira participa de programa de empreendedorismo feminino da Apple

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

18 de fevereiro de 2020 às 16:38 - Atualizado há 9 meses

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Tamy Lin, fundadora e CEO da Moobie, startup de compartilhamento de veículos, foi uma das mulheres escolhidas para participar de um programa de empreendedorismo feminino promovido pela Apple. Ela foi a única CEO brasileira a participar do programa.

Lin foi acompanhada de Mariana Alvarez de Carvalho, desenvolvedora iOs da Moobie, e Graziella Pereira, Senior Product Designer da startup. O objetivo do Apple Entrepreneur Camp é de auxiliar mulheres empreendedoras em suas jornadas – principalmente na construção de aplicativos de ponta na Apple Store. Um dos critérios para a participação do programa é possuir uma CEO e fundadora e pelo menos uma engenheira mulher.

O programa foi desenvolvido ao longo de duas semanas no Apple Park, sede da companhia. Há uma agenda com mentorias com executivos e engenheiros da Apple. “Tivemos sessões inspiracionais e insights de mercado com líderes da empresa, tanto em código quanto em design, entre outras áreas. Foi um privilégio estar tão próxima, em reuniões particulares com os experts”, conta Tamy Lin em entrevista exclusiva à StartSe.

Além do contato direto com funcionários da empresa, foi criada uma rede de networking em torno das participantes, reunindo mulheres de diversos locais do mundo. “Hoje eu estou muito em contato com uma fundadora da Finlândia. Trocamos experiências nos desafios tecnológicos e de empreender, o que ajuda muito no crescimento da Moobie”, afirmou Lin.

O apoio às participantes pelos executivos da Apple continua até um ano depois da participação das empreendedoras. Elas também passam a pertencer a uma comunidade de alumni das turmas anteriores.

“Percebi que o desafio de contratar engenheiras mulheres é igual em todo o mundo. E de criar e liderar uma empresa também – como contratar um time, desenhar um produto, criar um modelo de receita sustentável…”, enumera a fundadora da Moobie.

Os maiores aprendizados

Uma das maiores lições de Tamy no Entrepreneur Camp não foi especificamente de tecnologia, mas de marca. “Percebemos que deveríamos empoderar a mensagem de que somos a plataforma mais segura. Não tínhamos colocado o logo da seguradora, não falávamos isso no aplicativo e essa foi a principal mudança”, contou.

“Entendemos que temos de comunicar o que já somos, e isso faz com que pensemos em redesenhar toda a experiência do aplicativo. Cada locação sai com seguro completo na Moobie e não estávamos usando isso para lidar com o desafio cultural que existe no Brasil”, explicou a empreendedora.

As mulheres também puderam aprender como utilizar ferramentas da Apple para aprimorar a tecnologia de suas aplicações. “Podemos melhorar mais ainda o design de UX (usabilidade) de nossos produtos. Foi um divisor de águas para a criação de um novo aplicativo”, disse Tamy Lin.

Cada startup participante também ganhou dois ingressos para participar do WWDC, conferência anual da Apple para desenvolvedores.

Confira mais sobre a trajetória empreendedora de Tamy Lin e o modelo de negócios da Moobie no podcast MVP: