Empresa australiana reduziu seu dia útil para 5 horas e se tornou mais produtiva

Avatar

Por Isabella Câmara

22 de Maio de 2018 às 15:50 - Atualizado há 3 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Funcionários da Collins SBA, uma empresa de consultoria financeira australiana, têm motivos para estarem satisfeitos. No início de 2017, Jonathan Elliot, diretor Administrativo da companhia, decidiu encurtar seu dia útil de oito para cinco horas. Mais de um ano depois do início desse experimento, Elliot está tão feliz com os resultados que não tem a menor intenção de interromper o experimento tão cedo.

Jonathan Elliot decidiu introduzir um dia de trabalho de cinco horas após sua esposa ter ficado doente. Ele tinha que estar fora do escritório para cuidar dela e de seu filho durante o dia. “Se ele podia fazer isso, por que não os outros?”, pensou ele.

Embora a recepção esteja aberta o dia todo e, às vezes, acontecer alguma reunião importante com um cliente depois das 14h, aproximadamente 30 funcionários da Collins SBA chegam ao escritório entre às 8h ou 9h da manhã e saem entre 13h e 14h.

Claudia Parsons, Chefe de Operações da Collins, conta que a decisão de encurtar o dia de trabalho teve um impacto positivo na empresa. Novos funcionários foram contratados, pessoas se afastaram menos do trabalho e até mesmo a produtividade de alguns funcionários foi afetada. Porém, devido a diminuição da jornada de trabalho, algumas pessoas deixaram a empresa por falta de adaptação.

Stephan Aarstol, empresário e autor de “As cinco horas de trabalho: viver diferente, desbloquear a produtividade e encontrar a felicidade”, em tradução livre, também experimentou a rotina de horas úteis por dia. Aarstol introduziu um dia de trabalho de cinco horas na sua empresa, a Tower, em 2015. Inicialmente, a mudança produziu resultados positivos, mas com o tempo, algumas pessoas também deixaram a empresa. Atualmente, a Tower apenas implementa o dia útil de cinco horas durante os meses de verão.


(Via Business Insider)