Elon Musk só receberá se a Tesla atingir o valor de US$ 100 bilhões — e ele esta bem próximo disso

Elon Musk não tem salário, mas pode receber US$ 349 milhões se a Tesla atingir US$ 100 bilhões. Pagamento é parte de acordo realizado em 2018

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

14 de janeiro de 2020 às 16:50 - Atualizado há 1 mês

Elon Musk, da Tesla e SpaceX:

Elon Musk não possui salário, bônus ou qualquer pagamento na Tesla. O CEO é recompensado de acordo com a sua performance, através de ações. Em 2018, ele realizou um acordo para tornar a companhia uma das empresas mais valiosas do mundo – o objetivo é chegar a US$ 650 bilhões. Para isso, foram estabelecidas sucessivas metas. A primeira delas é atingir o valor de mercado de US$ 100 bilhões.

Venha aprender com os líderes das empresas mais inovadoras do Vale do Silício (EUA), China, Israel e Portugal

Na tarde desta terça-feira, a empresa estava avaliada em US$ 97 bilhões. Isso acontece devido a alta nas ações da empresa no início deste ano. Na semana passada, o valor chegou a US$ 88 bilhões, ultrapassando a General Motors e a Ford juntas. A Tesla está colhendo os frutos de ter superado a meta de veículos entregues em 2019, inaugurado a fábrica na China (que tem capacidade de produzir mil veículos por mês, no país líder em carros elétricos) e o anúncio da Cybertruck, SUV que trouxe milhões para o caixa da companhia na pré-venda.

Se realmente alcançar US$ 100 bilhões e este valor de mercado se mantiver por um mês, Musk começará a receber o seu pagamento. A estimativa é que a parcela seja de US$ 346 milhões. O valor é uma das maiores quantias já pagas para um CEO. Ao todo, Musk deverá atingir 12 diferentes marcos. Ele será recompensado de acordo com cada etapa superada.

Essa não é a primeira vez que o CEO da Tesla passa por uma provação do tipo. Em 2012, ações foram prometidas em troca de um aumento de US$ 4 bilhões no valor de mercado da companhia. Dos 10 objetivos traçados, o milionário atingiu 9.