Da NFL ao Uber: jogador de futebol americano vira motorista por alguns meses

Avatar

Por Júlia Miozzo

18 de agosto de 2015 às 09:46 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Na NFL (National Football League, a liga de futebol americano), se um time não chega às playoffs do campeonato, os jogadores podem ficar cerca de sete meses sem jogar e, consequentemente, sem receber os seus salários.

Nesse longo período sem jogar – o time está fora dos campos desde dezembro de 2014 –, um dos jogadores do time, A. J. Francis, decidiu que apostaria em um novo emprego como forma de complementar a renda: resolveu trabalhar como motorista do Uber.

Em vídeo para a ESPN, o jogador afirma que apesar de ter ganhado US$ 318 mil no ano passado e US$ 530 mil para a temporada que está para iniciar – aproximadamente R$ 3 milhões segundo a cotação desta segunda-feira – ele queria aumentar sua renda, já que ficou quase sete meses sem receber seu salário.

“Eu tenho um bônus de pré-temporada nesse ano, mas como qualquer pessoa com esse bônus te dirá, você não o ganha até julho, agosto. Então eu decidi ser meu próprio chefe”, disse Francis.” Ao invés de gastar o dinheiro que recebi no ano passado, porque não estou sendo pago nessas ‘férias’, estou fazendo-o de uma maneira diferente”, finalizou.

Ele conta que ao receber o primeiro pagamento da NFL, contou acreditar que nunca mais precisaria trabalhar na vida – mas que aproveita bastante a experiência (muito embora prefira disputar as partidas). Confira o vídeo em que ele conta a história, clicando aqui