Cosméticos para atletas são a aposta de empreendedoras paulistas

Os cosméticos da Pink Cheeks, que já são 16, são testados em condições extremas, como em uma prova de Ironman ? que chega a durar até 13 horas

Avatar

Por Júlia Miozzo

4 de fevereiro de 2016 às 12:53 - Atualizado há 4 anos

Ser atleta tem suas (muitas) vantagens, mas acostumar-se com as mudanças no corpo e alguns efeitos do esporte pode ser difícil. Queimaduras no rosto, assaduras de atrito e cabelos danificados já fazem parte da rotina de atletas, mas não necessariamente é um problema pertinente.

Foram esses problemas que as amigas Corina Cunha, Gisele Violin e Renata Chaim enfrentaram quando começaram a correr juntas. Para minimizá-los, Corina, farmacêutica que conta com 15 anos de experiência na área de cosméticos, começou a criar produtos para as colegas, como filtros solares, leave-in para os cabelos e protetores contra assaduras – produtos que acabaram se tornando a Pink Cheeks, marca de cosméticos voltadas para atletas.

“Não era nada sério, era uma brincadeira entre nós. A Corina fazia os produtos e eu os rótulos e depois de um tempo começamos a vender na farmácia de manipulação dela”, contou Renata, hoje responsável pelo marketing da empresa. “Em 2014 nós começamos a investir de verdade na empresa, cerca de R$ 40 mil no total. Patrocinamos quatro etapas da Track & Field, distribuindo panfletos e amostras”, mas foi só quando a blogueira Débora Aquino, do Blog da Debs, publicou sobre o produto que as vendas no site começaram a acontecer mais rapidamente e o estoque esgotou.

Hoje, os cosméticos são produzidos pela indústria Apoteka, de Corina, e já são vendidos no site, por consultoras e em grandes lojas de varejo e eventos, como The Beauty Box, Decathlon e Netshoes. “Nós percebemos que apostar na venda por consultoras era uma boa ideia, principalmente por conta dos grupos de corrida”, contou Renata.

Os cosméticos, que já são 16, são testados em condições extremas, como em uma prova de Ironman – que chega a durar até 13 horas. “Alguns diferenciais, como o do nosso protetor solar, o carro chefe da marca, é a alta performance, já que ele é resistente a água, possui alto FPS, não derrete, não pinga no olho, etc. São alguns diferenciais que, para os atletas, faz a diferença”, disse a sócia.

O principal diferencial da empresa, ainda segundo Renata, é conseguir unir a beleza e a funcionalidade do produto para atletas, unindo dois mercados. Além disso, embora 90% do mercado seja feminino, os produtos “ganharam a confiança do público masculino também, pois sabendo dos nossos testes, eles passaram a ter confiança no que criamos”.

“Nós também temos o projeto de desenvolver produtos somente para os homens”, finalizou Renata. A estimativa de lucro, para este ano, é de R$ 2,1 milhões.