Como 3 rapazes sustentados pelo governo criaram um negócio e hoje são milionários

Avatar

Por Júlia Miozzo

26 de junho de 2015 às 12:55 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

SÃO PAULO – A empresa Zaycon Fresh é, nas palavras de Carol Roth para o Entrepreneur, um “negócio inusitado com uma história inusitada”. Criada por dois irmãos e seu primo, hoje o negócio realiza eventos em todos os Estados Unidos, onde entregam proteínas como frango, salmão, carne e mais em grande quantidade para os clientes, diretamente da fazenda e por um preço razoável.

Tudo o que você precisa saber para construir uma startup de sucesso está no curso “Startup de A a Z, construindo negócios campeões”. Inscreva-se agora, restam poucas vagas!

Após começar com um evento teste em 2009, que gerou uma renda de US$ 40 mil, a empresa está no caminho a obter US$ 30 milhões neste ano fiscal. Uma curiosidade: todos eles viviam sustentados pelo governo americano na época, em um programa parecido com o “Bolsa-Família” deles.

Mike Conrad, CEO da empresa, comentou sobre as lições de empreendedorismo que aprendeu com toda a história da empresa – e como a transformou em um negócio gigante.

Confira:

Timing é tudo
Quando criou o conceito do negócio, o irmão do CEO e cofundador era gerente de açougue em um supermercado. Ele fez um teste de conceito para avaliar se conseguiria clientes para comprar em grande volume e com descontos, o que se mostrou um sucesso.

Quando abriu o negócio em 2000, entretanto, não foi bem sucedido. Somente com a estrutura formada da internet que seu negócio conseguiu um suporte e, junto com seu irmão e primo, Adam Kremin, ele conseguiu fazer com que desse certo.

Até mesmo as melhores ideias podem não ser bem sucedidas se lançadas na hora errada.

Construa sua marca da maneira mais difícil
Mais difícil do que abrir um negócio é criar uma marca consistente. A ideia dos empreendedores para o negócio próprio foi de começar aonde tinham suporte, nas igrejas locais.

As instituições ajudaram a divulgar o principal evento da Zaycon e continuaram a apoiar a empresa. Normalmente, os eventos acontecem nos estacionamentos de igrejas, onde geralmente existe espaço extra não utilizado. Além disso, a igreja se beneficia da doação de comida da empresa.

O primeiro evento foi um sucesso e, logo em seguida, lançaram cupons e parceria com blogueiros. Cerca de 450 blogueiros passaram a resenhar e escrever sobre os produtos da marca. Como a empresa entrega produtos frescos da fazenda, eles queriam oferecer uma experiência autêntica e, para isso, alugaram algumas caminhonetes e entregaram pessoalmente 450 caixas de produtos em todo o país.

Esse esforço extra criou um diferencial para a empresa. Com os blogueiros escrevendo sobre a Zaycon, milhares de clientes começaram a aparecer – e junto deles o crescimento da empresa.

Crie a equipe certa
Para fazer com que o negócio fosse do nada aos US$ 30 milhões em vendas, Conrad não nega que foi um esforço em equipe – uma questão de ter as pessoas certas no tempo certo.

Conforme a empresa cresceu, os empreendedores procuraram conselheiros e investidores que poderiam ajudar a complementar suas habilidades e levar a empresa a um próximo nível.

Envolva seus consumidores
A empresa conseguiu envolver os consumidores em todas as fases do negócio, desde o marketing inicial. Criando uma experiência divertida ao consumidor, o negócio ganha mais potência.

“As pessoas querem estar envolvidas em seu negócio. Quando se sentem envolvidas, elas querem te apoiar”, disse Conrad.

Crie uma defesa com propriedade intelectual
O segredo da Zaycon é, na verdade, sua logística; a empresa investiu fortemente em criar sistemas de software que ao auxilia na logística de entrega da comida e produção de eventos.

Conrad comenta que, apesar de o negócio parecer simples em seu conceito, a logística é muito complicada.

Queira mudar
“Seja maleável”, disse Conrad. “Você deve se adaptar e mudar. Ao menos quatro vezes pensamos que o negócio estava morto, mas sabíamos que não era uma opção. Nós tínhamos que continuar”.

Ele também comentou que a vontade de mudança aparece quando se escuta. “Sempre acredite que você não é a pessoa mais inteligente e deixe que outras pessoas apresentem ideias”.