Brasileira de seis anos cria loja virtual para vender os próprios desenhos

Avatar

Por Luiza Belloni Veronesi

3 de novembro de 2014 às 10:17 - Atualizado há 6 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Há quem diga que os empresários de sucesso já nascem com o espírito empreendedor. Se depender da paulista Renata Barrios é provável que esse ditado esteja correto. Com apenas seis anos de idade, ela abriu uma loja virtual e hoje vende quase 30 desenhos diferentes. 

Depois de um ano convencendo sua mãe, a moradora de São Caetano do Sul, em São Paulo, criou o e-commerce “Desenhos da Rê”, com desenhos que fez desde os dois anos de idade. “Ela sempre quis. Passou o ano todo falando para eu abrir uma loja virtual e vender os desenhos. Quando eu abri e começou a chegar pedidos, ela ficou eufórica”, disse a mãe de Renata, Raquel Barrios. “Para ela não é brincadeira, é um trabalho. Ela se vê como uma empreendedora.”

Com preço simbólico de R$ 2 cada desenho e sem frete, a mãe cuida da loja virtual, mas sempre com Renata do lado, que dá palpites em tudo e acompanha o fluxo de pedidos e os desenhos que são colocados. A ideia é que o dinheiro arrecadado vá para a poupança da criança e seja utilizado para os estudos dela no futuro.

Segundo a mãe, Renata acredita que o e-commerce é uma oportunidade das pessoas, não só comprarem seus desenhos, mas também conhecerem seu trabalho e futuramente criar uma exposição de arte. A menina recria imagens de desenhos animados e também da sua própria imaginação, além de dar nomes as obras. “É uma forma dela se comunicar, tudo que ela sente ela coloca em desenho”, explica a mãe.

Para Adriano Caetano, o diretor da Loja Integrada, plataforma de hospedagem, a iniciativa é o exemplo da inclusão digital no e-commerce brasileiro. “O mercado já foi resistente ao empreendedorismo digital, mas hoje até as crianças já podem participar deste movimento. É algo sensacional ter uma ferramenta que incentiva o empreendedorismo em qualquer etapa da vida e de forma tão acessível”, explica.