CEO da Disney deixa conselho da Apple após empresas se tornarem concorrentes

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

16 de setembro de 2019 às 16:00 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O lançamento dos streamings de vídeo da Apple e Disney estão marcados para novembro, mas as consequências já estão acontecendo. Bob Iger, CEO da Disney, deixou o Conselho de Diretores da Apple na última terça-feira (10).

Iger fazia parte do conselho de administração da Apple desde 2011. “A Apple é uma das empresas mais admiradas do mundo, conhecida por sua qualidade e integridade nos produtos e seu time, e eu sou para sempre grato de ter servido como um membro do conselho”, disse em uma declaração ao The Hollywood Reporter.

A aproximação entre a Disney e a Apple vem desde a época de Steve Jobs. O fundador da Apple também criou a Pixar, que foi adquirida pela Disney em 2006. Agora, filmes da Pixar farão parte do novo concorrente da Apple, o streaming Disney+. Por sua vez, a Apple começará a produzir conteúdo próprio.

O Apple TV+ será lançado no dia 1º de novembro e custará R$ 9,90 mensalmente no Brasil e US$ 4,99 nos EUA. Já a assinatura do Disney+ será de US$ 6,99 nos Estados Unidos (ou US$ 12,99 em um pacote com o ESPN+ e Hulu) e será lançado no dia 12 do mesmo mês. Ainda não há informações de qual será o preço do serviço no país.